segunda-feira, 6 de abril de 2009

Post das revelações - o segundo livro de Saramago

Dar a mão à palmatória, morder a língua, you name it. Isto é um post de responsabilização por um delito que há meio ano atrás não poderia ter cometido.
Amigas/os, sou uma vendida! Uma traidora, uma criatura volátil que aproveita esta época propícia às confissões para fazer a maior de todas: ando a ler - pior que isso, que o delito não é assim tão simples - a gostar de ler Saramago. Eu própria não sei que fazer com este facto, a não ser continuar a desfolhar timidamente as páginas de mais um livro. É verdade, vou no segundo, o que no meu caso, se bem se lembram, é obra. Esta infracção que agora denuncio é de tal modo paradoxal que, confesso (mais uma), no sábado, quando cumplicemente a Blue referiu o meu des-gosto por Saramago, não tive coragem de a desmentir. Achei que não conseguiria explicar a coisa sem bater com o carro - note-se que estava em manobras de quase estacionamento e um grito horrorizado no carro poderia ter-me feito colidir com a criatura da frente (again). Bom, o peso da não confissão fez-me passar um domingo terrífico (isso e o facto de me ter deitado tão tarde) e confesso agora o meu mais recente delito: eu, Woab, que em tempos redigi isto, que convictamente deste os 17 anos afirmo abominar a escrita do marido de Pilar, rendo-me miseravelmente aos seus enredos. Que a deusa me ajude.

(Egon Schiele, The Blind I)

8 comentários:

Kosovares disse...

"Queres que te diga o que penso, Diz, Penso que não cegamos, penso que estamos cegos, Cegos que vêem, cegos que, vendo, não vêem."

Mercantilista!!! ;)

Woman Once a Bird disse...

Sou uma vendida, é verdade. Neguei-o 15 anos e agora é isto.

Saberemos cada vez menos o que é uma leitora. - Livro das Previsões, à minha medida.

blueminerva disse...

Ahahahahahah!!! Se te curvasses aos livros da gaja que teve o AVC, perdia todo o respeito por ti. Sendo que é Saramago, o meu respeito aumenta... tenho uma grande admiração por quem consegue ler (entenda-se que é mesmo ler e não gostar) Saramago.

beijinhos vendilhona

Woman Once a Bird disse...

Blue, sou uma vendida mas nem tanto: nem essa tipa, nem JRS e nunca, mesmo nunca, MST.

Fernando Letra disse...

Bird,

nunca digas nunca. O Equador é tragável...

Parabéns pela confissão. Fica sempre bem.

Beijo (se me é permitido)

Woman Once a Bird disse...

Olá Fernando: o meu problema com MST prende-se com o seu posicionamento. Não consigo descalçar o preconceito relativamente ao que ele tem sido. Enfim...
Retribuo o beijo. :)

Marta disse...

És ainda mais linda quando te confessas,assim :)

saio daqui com sorrisos nos lábios, nas mãos, nos olhos :)

K disse...

"Nunca digas desta água não beberei" e já agora, saboreia bem, pois o marido da Pilar é genial...a escrever, entenda-se ;)