quarta-feira, 15 de outubro de 2008

namoros "lights"

Hoje levei as minhas crianças do oitavo ano à biblioteca da nossa escola. Disse-lhes que o exercício do dia era namorar livros. Apesar da Catarina informar-me desde logo que só gostava de namorar o Diogo e que não estava interessada, a maioria gostou da ideia. Conhecedora dos "calcanhares d´Aquiles" daqueles que são a minha verdadeira e única razão e motivação de me levantar cedo, libertei-os das (j)aulas e encaminhei-os para a biblioteca. Todos seguiram-me. Uns até bateram nas portas das salas, não com intenção de perturbar as aulas das outras turmas, mas sim, caríssimos senhores, para anunciar a felicidade que parecia transbordar dos seus coraçõezinhos de crianças. Foi, literalmente, uma alegria perturbadora. Enfim, pormenores só mesmo nas participações que alguns colegas mais lesados poderão (in)dignar-se a descrever.
À nossa espera já estava a bibliotecária, senhora muito simpática e amável, que nos fez uma visita guiada. Informou e mostrou-nos como é que estavam os livros organizados, catalogados e indicou quais os que podiam ser requisitados. Até aqui o percurso até correu bem. Mesmo muito bem.
Na fase seguinte, a prática: “Ok”, disse-lhes, “Agora estão por vossa conta. Ninguém sai daqui sem um livro. No final deste período lectivo, irão falar dele, "d´O Escolhido"! Conta para nota! Ouviram?! Não precisam de acertar à primeira! Nem sempre os amores à primeira vista resultam. Observem bem as capas, as contra-capas, os desenhos, as sínteses, os autores.... Namorem bem e muito ! Nada de pressas! Aqui existe uma grande variedade e há para todos os gostos. Se não gostarem, mesmo depois da requisição (contrato/casamento) e de o terem convosco , é porque foram "traídos" ou , então, porque se enganaram. Pronto, não resultou. Peçam o "divórcio" e venham cá trocar por outro. O importante é não desistirem, meninos! "Ide" então procurar o vosso companheiro ideal! "Ide" tomar decisões importantes para as vossas vidas!”
Enquanto circulava pela sala, ouvia comentários e exclamações do género: “Nem pensar levar este, tem muitas folhas. Esse?! Nunca! Já viste a grossura dele?! Estás doido?!”
Senhores, era a quantidade de folhas que preocupava aquelas crianças! Sentiam-se revoltados porque só existiam livros com imensas folhas! E nem sequer tinham desenhos (apesar de referir que também podiam incluir a banda desenhada nas suas escolhas)! Alguns alunos até tiveram a ousadia de insinuar, perante a minha pessoa, que iriam requisitar folhetos informativos! Folhetos!! E só não o fizeram porque… Enfim, há sorrisos que valem por mil palavras! E, neste caso, foi o meu sorriso bem amarelo a fugir para o enjoo!

1 comentário:

Lueji disse...

Ainda não se casaram e já querem o divórcio!!! :)