segunda-feira, 13 de outubro de 2008

(saudosos Ornatos)

Sinto a falta deles como se algo novo tivesse ficado por criar.



A cidade está deserta
E alguém escreveu o teu nome em toda a parte
Nas casas, nos carros,
Nas pontes, nas ruas...
Em todo o lado essa palavra repetida ao expoente da loucura
Ora amarga,ora doce
Para nos lembrar que o amor é uma doenca
Quando nele julgamos ver a nossa cura

5 comentários:

Mr. Lekker disse...

Grande música. Nunca é demais ouvi-la.

nefertiti disse...

concordo.

Woman Once a Bird disse...

Linda, linda. Nunca é demais dizê-lo
(sim, adultero as palavras de Mr. Lekker).

jorge c. disse...

Saiu um disco do Manel Cruz "foge, bandido, foge". Não é a mesma coisa mas é bom. É uma edição limitada, com livro. Só encomendada na cdgo. Pode ser encomendada pela net.
O Nuno Prata, o baixista, também tinha lançado um disco muito engraçado, mas está esgotadíssimo há 1 ano.

É um marco estrondoso do fim de século.

Táxi Pluvioso disse...

Isto está extraordinário. Clique três vezes seguidas sobre a porta. E nos outros sítios todos, o telefone é o último.