domingo, 16 de setembro de 2007

Lullaby de Domingo ou "Ah, Miserere me"

Período de desintoxicação do organismo.
A memória demasiado curta anima-se perante uma noite em grupo. A conversa entusiasma, os sorrisos multiplicam-se, contagiam-se e esperam por um regresso gostoso.
A verdade é que a memória não será curta, mas sim selectiva. É totalmente recuperada, a traidorazinha, assim que colocamos os pés e os ouvidos no sítio do costume. Total ausência de senso, por parte daquele que se diz responsável pela música do antro. Reencontro com os espécimes já anteriormente documentados.
Do café que se diz arte, em letreiro escuro por cima da porta, deveria constar o sábio aviso descrito por Dante na sua Comédia: "Deixai toda a esperança, vós que entrais."

Em Domingo de purgação da miséria auditiva, evoco Oh, My (Private) Lord, From him To (my) Eternity:


3 comentários:

nefertiti disse...

temos que repetir... para o próximo ano : ))


(mas até foi divertido ; )) eu até gostei)

provavelmente talisca disse...

From Her To Eternity.

Tantas imagens/ sons/ emoções/ sensações/ recordações que me invadem quando oiço o Nicolau Cavernas e as Sementes Beras a cantarem isto. As Asas do Desejo. "I don't want to talk about this girl..." O quarto vinte-e-nove... Um comboio que parte imparável. Um fim. Um começo, não o começo, mas enfim todos os começos são o começo, mesmo que tragam já agarrados a si outras histórias. E eu não quero falar sobre isto, fumo e cores numa tela a preto e branco. Alguém tem um cigarro que me arranje?

nefertiti disse...

eu cá não fumo : ))