sábado, 30 de junho de 2007

Cogitações avulsas

Babam no canto da boca, enquanto bamboleiam as ancas e sinalizam a (in)existência de cérebro com piscares insistentes de olhos.
São às dúzias, aos molhes. De copo na mão cirandam pelos recinto; introduzem-se insidiosamente como se de humidade se tratassem. Interrompem e querem fazer-se notados através de vocábulos guturais berrados aos ouvidos. E tocam. Colocam-nos a mão no ombro ou tentam rodear a cintura com as suas mãozinhas gordurosas e ansiosas, mostrando os dentinhos por entre os lábios que supostamente esboçam um esgar sedutor. No final, ainda têm a lata de perguntar "se ofenderam".
Cara criatura, como fazer-te entender que não ofendes? Que apenas provocas uma incrível sensação de asco?

(Fotografia de Joel-Peter Witkin)

5 comentários:

nefertiti disse...

eu estou chocada! tem piedade, eu demasiado sensível para tais visões!!! ai, credo!!

nefertiti disse...

até comi a palavra "sou"!

Alba disse...

Palavra que até me senti agoniada!
É isso, asco!

feniana disse...

tou como a nefertiti...sou demasiado sensível para dar de caras com tais imagens ;)

mas as tuas palavras sabem sempre bem.

bjo

rps disse...

Pelos vistos, só te saem duques...