sexta-feira, 18 de maio de 2007

"Dor que desatina sem doer" 2

"Quem esteja minimamente familiarizado com as agruras da composição não precisará que lhe contem a história em todos os seus pormenores; como ele escrevia e achava bom o que escrevera; relia e achava execrável; corrigia e rasgava; cortava; acrescentava; ficava em êxtase; sucumbia ao desespero; passava noites excelentes e péssimas manhãs; agarrava uma ideia e deixava-a fugir; tinha uma nítida visão do seu livro, e a visão desvanecia-se; representava os papéis dos seus personagens enquanto comia; declamava-os enquanto passeava; ora vociferava, ora ria; hesitava entre este e aquele estilo; (...); e não conseguia decidir se era o mais divino dos génios se o maior tolo do mundo."
Orlando, Virginia Woolf

1 comentário:

nefertiti disse...

já sabes, tb quero ler : ))