sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Considerações rápidas sobre VPV

Medíocre, é a única coisa que me ocorre ao ler a sua crónica, sobre a qual recebi recomendações via sms. E nada mais precisa ser dito.

(E não, Sancho, com isto não quero legitimar as afirmações de Saramago, até porque não as ouvi).

11 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Obviamente, VPV diz na crónica de hoje, tudo que o é necessário saber sobre Saramago.
Obviamente, o artigo de VPV é o melhor que se escreveu sobre o Caim, do Saramago.

rps disse...

Certeira, corajosa e brilhantemente escrita são as coisas que me ocorrem ao ler a sua crónica (de VPV), sobre a qual recebi recomendações via sms. E nada mais precisa ser dito.

nefertiti disse...

Este senhor escreveu sobre quê? Saramago? Quem é esse? Um saloio de 80 anos que não sabe escrever e que ganhou um prémio?
Mas que por que perde ele tempo a escrever sobre saloios e acéfalos sem escolaridade? Falta de assunto ou é mesmo algo que o incomoda? Não percebi...
Parece-me que o senhor quer dizer que também descobriu a pólvora. Saia já um prémio também para VPV, por favor! Um Nobel, se for possível.

nefertiti disse...

ou um selo da blogosfera, também deve servir.

rps disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rps disse...

Miss Nefertiti: ele (VPV) não perde tempo a escrever - ele ganha dinheiro a escrever. No caso, sobre a "actualidade".

Woman Once a Bird disse...

Funes e RPS :
No que diz respeito ao Funes, muito me admira que considere "necessário" o que VPV escreve sobre Saramago, quando quase tudo não passa de uma patifaria petulante.
E passo a citar e a questionar a necessidade de "ideias de trolha ou de tipógrafo semianalfabeto" ou então a pertinência de "Saramago tem 80 e tal anos, coisa que não costuma acompanhar uma cabeça clara, e que, ainda por cima, não estudou o que devia estudar", ou ainda "Nem por caridade cristã. D. Manuel Clemente conhece com certeza a dificuldade de explicar a mediocridade a um medíocre e a impossibilidade prática de suprir, sobre o tarde, certos dotes de nascença e de educação"; e para culminar esta linha "argumentativa" necessária (volto a frisar esta propriedade) "extraordinária importância que lhe deram criaturas com bom senso e a escolaridade obrigatória".

Em nenhum momento consideraria estas afirmações rasas e ignóbeis como certeiras, corajosas e muito menos brilhantemente escritas, RPS.

Com isto não afirmo que VPV não poderia expressar o seu desagrado pela escrita de Saramago ou pelas posições que este assume publicamente. Simplesmente não é legítimo que utilize este tipo de "argumentos" preconceituosos.
E tal como Nefertiti frisou, VPV critica exactamente o que o levou a escrever a crónica; então se Saramago é um homem sem a escolaridade necessária para a elevação de VPV, se
é um homem com ideias de trolha, medíocre, a quem nenhum escolarizado deve dar importância, porque se dá ao trabalho o genial e ultra-escolarizado VPV de escrever uma crónica sobre o assunto? Mal (muito mal) prega Frei Tomás.

ecila disse...

É capaz de ser o artigo mais mediocre e acéfalo que li na vida. (ainda bem que nao está traduzido para inglês, seria uma vergonha nacional)

José Ricardo Costa disse...

O artigo do VPV é mais um urro vindo das entranhas do que propriamente um artigo de opinião. Se pode ter razão nalgumas coisas, perde-a por completo pelo modo raivoso como escreve. Um caso de psicanálise.

JR

Sancho Gomes disse...

pois a mim parece que VPV é, uma vez mais, certeiro!
reconheço, contudo, algum excesso de linguagem, em minha opinião, desnecessário.
woab afirmaste: " Simplesmente não é legítimo que utilize este tipo de "argumentos" preconceituosos". e serão legítimos os argumentos preconceituosos de saramago, relativamente ao Cristianimo, à Bíblia? a verdade é que saramago, frequentemente, porta-se como os mata-frades oitocentistas. e tem um complexo de édipo muito mal resolvido com a Igreja.
digo isto somente relativamente às afirmações, porque o livro não li. mas quanto à coragem que alguns querem ver em saramago, é preciso que se diga, em abono da verdade, que corajoso foi eça quando escreveu a relíquia.
mas acho que a má consciência de saramago está mesmo explícita quando ele afirmou reconhecer algum excesso ao chamar Deus de filho-da-p.... então se é mera expressão da sua liberdade criativa, porque carga d'água é que ele diz ter havido excesso?

Woman Once a Bird disse...

Sancho:
Quase previ a alusão a mata-frades, expressão que te é tão querida. Em nenhum momento legitimei as afirmações de Saramago. Apenas me debrucei sobre o artigo infame de VPV.
Considero que o comportamento de Saramago não pode legitimar o de VPV. Algum excesso é um eufemismo, não é?