quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

How to deal with a feminist

Nunca dirigir-se-lhe com a expressão "man".

12 comentários:

jorge c. disse...

Deixa-te de cenas, man! Qual é o stress?

Woman Once a Bird disse...

Nenhum, woman!

jorge c. disse...

Isso não funciona, man! 'Tás-ta passar? Achas que convences alguém com isso? És muito fraquinha!

Woman Once a Bird disse...

What? Quem se tá a passar és tu, woman! Get a grip.

Sancho Gomes disse...

Eu não tenho o mínimo problema em tratar-te por man porque, como é sabido, és pouco sensível às questões de género...

Woman Once a Bird disse...

Meu querido, essa é uma pílula que ainda não engoli completamente. ;)

Funes, o memorioso disse...

Não tem nada a ver com este post, mas ando desde ontem angustiado com uma dúvida terrível: eu também salivo com Deleuze, ou é só com Derrida?

Woman Once a Bird disse...

Meu caro Funes:
Mas Deleuze deixou-o nesse estado terrífico? Dar-se-á o caso de ser ainda mais grave? Diga-nos, para além da dúvida terrível, que outra sintomatologia acusa?

jorge c. disse...

Funes, vamos matá-la!

Woman Once a Bird disse...

"Come and get me, boys."

jorge c. disse...

Já sinto o cheiro do teu sangue a escorrer pelos passeios e a tua cabeça entre as minhas botas e o chão.

Woman Once a Bird disse...

Olha, essa cena não está no América Proibida? Vais ver como elas te doem quando chegares à prisa.