quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

A-s-s-e-x-u-a-d-a


Ora, desde quando uma feminista usa saltos ou deixa-se fotografar nua por um amante? Ainda por cima, por um amante?
Não senhora. Feminista que é feminista, como sabemos, não depila, não ama (elementos do sexo oposto, como é óbvio) e não despe.
As feministas querem-se informes. E assexuadas! Ouviram?

11 comentários:

Rosa Oliveira disse...

Olha, permite-me, também, brincar. Em boa verdade, estou cansada da ausência de discussão (seja qual for), fruto daquele lugar onde trabalho.


Qual foi o amante fotografo, é que tinha muitos?
Eu não sou feminista, mas odeio depilar.Convenhamos que dói qu'o raio. Aliás, depilo pouco até.

Com todo o respeito, Woman, não te parece que isto é uma pseudo-questão?
E convem não confundir sexo com sexualidade.
Diz-se que os anjos são assexuados, mas acho que são meninos, logo as feministas não são anjos. Será que são diabos?

(Percebi a ironia, foi apenas para brincar)

Woman Once a Bird disse...

O que se dizia escritor. "Amaricano". Dizem. Até porque nem há certeza que seja efectivamente a senhora.
Amou ela muito bem. Muitos! Escandalosamente mulher, sem olhar a convenções e tratados e alianças e casti(gos)dades.

Rosa Oliveira disse...

Estes «amaricanos» só sabem ver as coisas por trás.

Amar muitos?
já tenho matéria pensativa para hoje... amor primeiro, segundo, terceiro... não sei!, não sei... lá no fundo, sou uma romântica pirosa, adoro histórias pirosas de amores primeiros, únicos, enfabulados de encanto inocente com homens lindos de sorriso no rosto e mulheres princesas de cabelos longos e caracóis muitos. Tudo (muito) feito de magia incrita na pele, a brilhar nos olhos, a susurrar melodiosamente no ouvido e a gemer pela boca (alto, bem alto [crescendo do susurro ao grito de guerra...]).

Escandalosamente mulher, obscenamente em privado, claro!, com tatados referendados a dois, instalados na improbabilidade (às vezes, o improvável acontece...só, às vezes) das convenções feitas de alianças puras, contaminadas do conhecimento de si e do outro. Tudo no seio da maior castidade : estar centrado em si, no sentido de se melhorar e ir ao encontro do outro, desprovido da luxúria consumista da coisificação do outro que retalha, consome e defeca no após.

Amar muito bem, sim!
E porque assim é, só por isso, é um repastado manjar dos deuses.
Excelente dia e melhor noite, sim!


(Woman, este comentário segue a linha irónica do primeiro. vou trabalhar!)

Rosa Oliveira disse...

deve ler-se: magia inscrita

Hipatia disse...

(vi isto hoje no Cibertertúlia e lembrei-me de ti)

Woman Once a Bird disse...

Obrigada Hipatia. Já tinha andado a cirandar... ;)

luís disse...

woab já ouviste a banda-sonora do nick cave e do warren ellis para o assassination of jesse james? Está óptima, embora tenha pouco a ver com o trabalho dele com os bad seeds. O único que li da Simone até agora foi por tua recomendação. E foi uma excelente recomendação. Gosto muito desta foto dela.

samya disse...

Pois é, hoje que tive tempo de entra no blog queria postar exatamente essa capa da revista, você tem toda razão!
Beijo e um domingo lindo pra você

Woman Once a Bird disse...

Luis, esta nova banda sonora ainda não ouvi. Mas a banda sonora de The Proposition já e gosto muito. Sendo diferente do trabalho habitual de Nick Cave e Ellis (já que este também faz parte dos The Bad Seeds), acho de muito boa qualidade. Como de costume. De qualquer modo, vou ver se consigo ouvir esta. Obrigada.

luís disse...

Se nao conheces, ouve dirty three, a banda do ellis. É óptimo, mas óptimo a sério, não é a brincar.

everything in its right place disse...

feministas e francesas não depilam, lol

(era aqui e não ali...)