segunda-feira, 14 de janeiro de 2008


Repentinamente, ao observá-lo, reparei como lhe surgia um sorriso a baloiçar-lhe nos lábios, ao identificar a ironia à qual a autora da frase que lia pretendia ter escapado: "também ela caiu nesta armadilha", disse quase para si próprio. As palavras pareciam pairar acima da cabeça dele de tal forma que consegui imaginar a cena que de seguida me descreveu. A situação era banal, a história igual a tantas outras, que se resumia em duas frases. Os personagens figuras invejáveis, com qualidades únicas, - mas protagonistas de uma história completamente vulgar. Consegui descobrir-lhe o nome: Isaura.

Foto de Jim Arnold

2 comentários:

Woman Once a Bird disse...

Ah, mas da mesma forma que se cai, também se sai. Num momento de inspiração - ou melhor, de expiração.

luís disse...

Esta foto faz lembrar a obra de Ensor. Se não conheces aconselho. É muito boa.