quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Do que é que preciso? Que desapareça!

Após dia generosamente cansativo, a chave na porta a más horas prenuncia o que se seguirá: a recepção ficou a cargo da música do anúncio mais irritante do momento, aquela que soa a fãs dos The Cure que quiseram compor música a sério e saiu-lhes aquilo. Depois, o visionamento forçado da gelatina laranja flutuante, com todos aqueles idiotas sorridentes a segurá-la nas palminhas da mão. A tragédia de tudo isto reside no facto do lamentável episódio ter tendência a repetir-se, já que insistem na coisa ad nauseam . Do que é que preciso? Matem a lombriga laranja, silenciem a espécie de jingle e fico satisfeitinha. Mai'nada!* *Já agora, tratem também da 'saudinha' do centauro horribilis do outro anúncio.

2 comentários:

lancelot disse...

De facto aquela sonoridade já me tinha lembrado uma imitação barata e descontextualizada dos Cure.
Pelos vistos não sou o único.

O Centauro/sagitário também é mau demais.

Fique sabendo que são as duas campanhas do momento no mercado Português e que representam a mudança de marca/conceito que essas duas instituições pretendem passar para o mercado.

Ao que soube, são campanhas de muitos milhões de Euros (mesmo muitos).

Das duas uma :
- trata-se dinheiro atirado com ideias perfeitamente imbecis;
- o consumidor Portugu~es está em rápido processo de "imbecilização" (será que existe?) e até lhes acha piada e com isso até considera ser Cliente dessas empresas que têm desempenhos comparativamente mediocres nos respectivos sectores.

bartleby disse...

Não há pachorra...