domingo, 12 de agosto de 2007

Centenário do nascimento de Miguel Torga



Oferenda

Abre as mãos e recebe
Esta serôdia oferta
De um poema de amor.
Ilusões refloridas a desoras
Num toco carcomido.
São assim os poetas:
Dão no pino do Inverno
Versos de primavera.
A razão?
Talvez seja
Que neles o coração
Mesmo velho viceja.
S. Leonardo de Galafura
Miguel Torga

5 comentários:

Woman Once a Bird disse...

E na Primavera? Que tipos de versos oferecerão os poetas?

nefertiti disse...

versos para todos os tempos : ))

(...)
Que sei recomeçar...
Que sei que há uma promessa
No acto de cantar...
M. Torga

Haja sempre poesia e nela todas as estações possíveis : ))

maria viene disse...

Gosto do Miguel Torga.
Mas tenho um amigo que deve estar satisfeito com a polémica - da falta de representação adequada do governo - na sua homenagem!
Detesta-o!
Mas eu gosto. Tirando os Bichos que li, "à força", no liceu.

Woman Once a Bird disse...

Cara Maria:
Também conheço quem adore abominar Miguel Torga. Aliás, nem sei como ainda não entrou por aqui a assinalar o seu descontentamento. ;)

nefertiti disse...

julgo que a melhor homenagem possível é ler a sua obra, mesmo que chegue à conclusão que não gosta: ))