terça-feira, 6 de março de 2007

Aquecimento de neurónios e a estranha relação dos (sobre)nomes

Acho que o nome Fátima quando complementado por Lopes, é sinal de mau augúrio. Da que pulula na Tv com as vidinhas tristes dos outros, a recomendar os iogurtes intestinais e a assinar livros que podiam ter sido escritos por adolescentes, estamos conversadas. Quanto à outra, a história é outra. Essa, anda a dar mini-entrevistas à Visão e a criticar a medida adoptada em Espanha de controlo das modelos excessivamente magras. Segundo ela, a espanha pretendeu chamar a atenção, já que não tem qualquer peso na moda internacional (Portugal tem, como é óbvio. Ou melhor, a Fátima tem). "Saiu-lhes o tiro pela culatra", diz ela, como se fosse de aplaudir de pé que se continue a desfilar com mortas de fome! A criatura que defende o uso de peles e compara com comer bifes ou não (suponho que secretamente abocanhe as peças que assina ), fez um desfile com "consciência ambiental", para não perder o comboio internacional. E acrescenta que não está a tentar ser moralista. Pois não. Nunca me passaria pela cabeça que ela o fosse. Portanto, Lopes deste País, "Fátima" para as criancinhas não costuma dar bons resultados!

6 comentários:

Isabela disse...

Penso exactamente o mesmo, com as mesmas palavras. Estas mulheres constrangem-me. A Lopes da televisão é mázinha, mas a da moda é tonta e brega...

edelweiss disse...

Quanto muito, Lopes da Silva!

rps disse...

Lembro-me de uma Fátima se queixar do nome que os pais lhe escolheram e de alguém lhe dizer que muita sorte tinham as Fátimas. Ele explicou: olha se a Virgem tinha aparecido nas Minas da Panasqueira...

nefertiti disse...

A Faztemá Plops para os amigos mais afastados; ))

Woman Once a Bird disse...

Se tiver DA SILVA, pode ser que se safe! ;)

Lady of the Lake disse...

o que mais me irrita na Fátima Lopes da moda é a sua auto desresponsabilização (não sei se existe) pela questão das peles