sábado, 20 de janeiro de 2007

Mais uma vez... os dados viciosos

Não é preciso fazer exame de psicologia! - Informou a criatura burocrática (que é dona da fábrica por algum tempo)... Não precisamos de exame a psicologia! - repetiu veementemente. O operário, frente ao seu posto de linha de montagem, ainda tentou contrariar: Mas, Exa, isto não significa que não acredite na sua infinita sabedoria. Mas sabe, tenho aqui uma dúvida... Operário não pensa, operário executa. E mal. A nossa linha de montagem é das piores. - setencia a criatura burocrática. O operário ouve, mas a criatura burocrática teme que o microfone não tenha apanhado. E portanto, gesticula enquanto repete: Operário não pensa, operário executa. Executa mal. A nossa linha de montagem está prejudicada pelo trabalho do operário. O microfone pisca o olho à criatura burocrática. A criatura devolve a piscadela e sorri. Mas o operário continua... Mas, Exa, existem fábricas superiores que exigem o exame de psicologia para a prossecução da montagem do produto. E quanto a esses casos? É que o programa mudou, e só está previsto haver exame ao programa antigo... Mas issso é óbvio, caro operário. - E ao afirmar o óbvio, a criatura burocrática suspira. - O produto realiza o exame a partir dos conteúdos do programa antigo. Mas, Exa, os conteúdos são diferentes. Alguns conteúdos do programa antigo não existem no novo e vice-versa... Como vão fazer o exame de um programa que não lhes foi leccionado e ser bem sucedidos? - questiona ainda, o operário perplexo face ao absurdo. Provavelmente, não vão ser bem sucedidos. Mas que importa? Como já sabemos, a culpa será sempre do operário. Todos sabemos que operário não pensa. Operário executa. E executa mal. A criatura burocrática sorri e dirige-se à porta de saída da fábrica. O microfone corre atrás.

1 comentário:

rosa disse...

Pobres dos que trabalham em fábricas destas.
Já tinhamos falado sobre isto, há uns tempos...
http://pequenoescrito.blogspot.com/2007/01/apologia-do-no-retorno.html

Os dados são mesmo viciosos