segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Já que ando com a mão no roubo (1 e 2), aproprio-me, por esta vez, da ideia lançada há alguns meses no Tónel. Contudo, o meu desafio prende-se com a fotografia que tem o título que adoptei para (a minha) personagem deste blog. Agora, solicito que digam de vossa justiça. Que olhar vos suscita "Woman Once a Bird"?
(Fotografia de Joel-Peter Witkin)

9 comentários:

Anónimo disse...

Pena.. sem segundas intenções linguísticas.

nefertiti disse...

eu (cá) associo a imagem ao nome que adoptaste e à "persona" que tão bem sabes dar voz...

provavelmente talisca disse...

Ponto Um Único:

Quando penso em si, WOAB, vejo uma ave, mistura de águia, albatroz e andorinha, que pousou, se fez mulher e arrasta consigo leveza nestes novos caminhos.

Ponto Dois Aberto:

Esta fotografia faz-me recordar que a Mulher ainda é e será durante muito tempo o "nigger" do mundo.

Sinais de lobotomia na cabeça, impedindo-a de pensar. As asas arrancadas impedindo-lhe a liberdade. A cintura tornada mais estreita brutalmente, símbolo de escravatura sexual e abuso. E uma nudez não autorizada por ela.

Ponto Três Apelo:

Os direitos da mulher, duramente conquistados no ocidente ainda são muito recentes. Parece-me que a maior parte das mulheres aqui os acha já seguros. Não estão. Tem que se lutar continuamente por eles. Ainda não chegaram ao mundo inteiro e mesmo aqui há uma multidão de homens e tragicamente de mulheres que os retiravam se pudessem.

rps disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
rps disse...

Dor e Impotência. Na foto.
Mas, para mim, o meu original de Woman Once a Bird é mesmo Miss WOAB. E essa suscita-me coisas positivas. Apesar do feitio. :-)

jose disse...

Eu associo a uma fotografia que considero muita feia (não sou, no geral, fã de witkin. enerva-me um bocadinho como já tive a oportunidade de to dizer, embora aprecie umas poucas coisas) e a uma outra muito bonita, aquela do Man Ray que tinhas no Livra das gotas de água.
Associo também ao Days of Being Wild do Kar-Wai por causa da metáfora do bird without legs que é utilizada no filme (desde que começa a voar fá-lo até ao fim da vida e quando pára morre porque não consegue sobreviver em terra). E esta associação já não sei porque a faço. Certamente pelo 'bird' no meio. Lol sou mesmo básico às vezes.
(Estou a ler O Sangue dos Outros. Apanhei-o a 6 euros, vê lá.)

Woman Once a Bird disse...

Caros Talisca, concordo em absoluto consigo quanto ao ponto três. Gostei muito de ler o seu ponto dois, acho que foi extremamente generoso no primeiro.

RPS:
Sim, o mau feitio continua ;) e concendo que o Miss WOAB já se tornou uma segunda pele.

José:
Espero que gostes (O Sangue dos Outros). Eu gostei muito, como já tivemos oportunidade de falar. Tenho que o reler um dia destes.
Esta obra de Witkin remete para uma outra de Man Ray, de que também sou aficcionada.

Isobel:
Sei que é uma imagem muito forte.

sleep well disse...

Esta imagem é chocante, pela negativa.

Exactamente o oposto da imagem que faço de ti
...chocante pela positiva :)

de ti estou contruindo uma imagem...é inevitável...

mas asas?
claro que tens asas...
não só por já teres sido pássaro mas porque quem foi pássaro nunca deixa de voar :) é como andar de bicicleta...nunca se esquece!

e ter mau feitio, no caso, é essencial. confirma a suspeita.
só esses voam ;)

provavelmente talisca disse...

Sou um pássaro a quem roubaram a memória de ter tido asas.