segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Esta é a história de uma disciplina que morre...

Muita coisa tem mudado, com este Mi(ni)stério da Educação; informações contraditórias, reformas aplicadas à pressa, exames que foram, são e deixam de ser, exames que não eram, não são mas que até ao final do ano lectivo ainda podem ser...Enfim, e tudo isto com uma Ministra a afirmar angelicalmente que não percebe assim muito bem os protestos (que não têm que ver só com isto, mas também). E no meio desta salganhada, leva-se a cabo, silenciosamente, o assassinato lento da filosofia, a ver se ninguém nota e ninguém reclama. No ano em que se decide que nem para entrar no Curso Superior de Filosofia é permitido exame a Filosofia, o Brazil assume postura inversa e reintrega a disciplina de filosofia nos cursos médios. Curioso que quando por cá se fomenta uma política de abate da disciplina, um outro País (privado da mesma graças a uma ditadura) a ela regresse e lhe reconheça a perenidade, apresentando o facto como "uma vitória da luz" (César Callegari, sociólogo). Isto diz muito de nós e do rumo que tomamos. Isto diz muito de quem diz saber o que é melhor para o nosso País. "Estamos reintroduzindo o ensino crítico e oferecedo aos jovens a possibilidade de entender melhor o mundo em que vivem", afirma o Ministro da Educação brasileiro. A "nossa", informa sobre as suas decisões no que diz respeito à disciplina, sem as explicar ou sequer discutir. Acabam-se os exames, as faculdades recebem a informação que não lhes é permitido solicitar o exame de filosofia. Mata-se a filosofia e são poucos os que notam. Mas também, para que queremos nós que se ofereça a possibilidade de compreensão de mundo? Desde que votem no quadradinho certo e não pensem muito sobre o assunto... até aqui, tudo bem. Não é? (Ilustração do post roubada a Magritte)

13 comentários:

his_tory disse...

A filosofia é uma disciplina nuclear, tal como a(s) língua(s), a matemática, a história, as expressões artísticas, a educação física... No fundo, tudo o que pode/deve contribuir para uma formação integral do Homem. Mas, por este andar, os alunos ficariam com o horário semanal "das 9 às 5".
O descrédito dado à filosofia não se entende, sendo um claro contrasenso que se entre num curso de filosofia com o exame noutra área do saber... Por outro lado, o exame de português permite o acesso a diversos cursos, tal como o de matemática, entre outros... Pessoalmente, achava exagerado quando os alunos realizavam exames a todas as disciplinas...
O busilis da questão é saber se estamos perante uma política consolidada a médio/longo prazo ou se estamos perante medidas tomadas "avulso", ao sabor das estatísticas a curto prazo...

rps disse...

Não ouvi a argumentação para a decisão, mas não veja que alguma me possa convencer da bondade da decisão.

Funes, o memorioso disse...

Primeiro, vieram e levaram o Grego. Não entendia patavina de grego e não me importei.
Depois, voltaram e levaram o Latim. Era uma língua morta, não era nada comigo.
A seguir, levaram a Filosofia...
...
Calma, Woman, muitos e muito mais inteligentes tentaram acabar com a filosofia antes da senhora ministra. Não vai ser fácil.
Ao longo dos séculos, os políticos outra coisa não fizeram senão modificar o mundo. O que importa é interpretá-lo.
Mesmo que sejam diametralmente opostas as nossas filosofias, estou consigo nesta luta contra o fim da filosifa nas escolas. Tanto mais aberrante, quanto se passa num tempo em que os mesmos governantes que acabam com ela enchem a boca a dizer que acabaram os empregos para a vida, que poucos irão trabalhar nas áreas em que se formaram e que o que importa, daqui para a frente, na formação das pessoas é manter o espírito aberto. Enfim, não são filósofos, não se lhes podem exigir um mínimo de coerência.

Funes, o memorioso disse...

As gralhas no meu comentário anterior são tantas, que não vale a pena corrigi-las.

Woman Once a Bird disse...

Caro His_tory:
Aqui não está em causa a realização aleatória de um exame. O exame de filosofia era solicitado por algumas faculdades para cursos superiores. A partir de agora, não. Também não me parece que a medida resulte do sabor das estatísticas. Tal como o RPS,não acredito na ingenuidade destas medidas tomadas a conta-gotas.

Caro Funes:
Não será a primeira vez (nem a última) que estamos de acordo. ;)
Concordo quando diz que acabar com o ensino da filosofia não vai ser fácil, mas também é verdade que travar essa intencionalidade também não. Aguardemos por desenvolvimentos.

nefertiti disse...

Mas para haver coerência temos que acabar com a Filosofia! Ouvir e não reclamar!! A Religião Moral é que começa cada vezes mais a ganhar terreno!! É sem dúvida a disciplina nuclear no nosso país!! Há dúvidas?! Leiam o catecismo!

nefertiti disse...

digo vez

everything in its right place disse...

gostava que os alunos que estão / irão para o secundário tivessem filosofia.

não gostava que eles, tal como eu, tivessem uma vaca católica apostólica romana a moralar em vez de leccionar, realmente, filosofia...

sleep well disse...

Claro que não! Não podem acabar assim com o prazer de pensar nas escolas! Sim, eu tive esse prazer, com a professora de filosofia que, então, me calhou na rifa.

his_tory disse...

Cara WOaB,
Não acho inocente as intenções da actual ministra, tanto mais que andamos há alguns anos a saltar de reforma em reforma e não me parece que esta seja a definitiva.
Agora uma dúvida: será que os alunos se vão aplicar menos a filosofia, que continua a ser uma disciplina obrigatória nos cursos científico-humanísticos (faz média de curso) só pelo facto de não ser obrigatório o exame nacional? Não creio que a resposta seja afirmativa... Pode é ser entendido como uma descida de divisão, e nisso concordo com a indignação.
Porém, não ouvi nada em relação à filosofia deixar de integrar o núcleo duro da componente de formação geral... E não creio que se avance nesse sentido.

alfinete disse...

Excelente post.

provavelmente talisca disse...

Querida Senhora Já Antes uma Ave:

É fácil acabarem com a filosofia. É fácil acabar com qualquer coisa desde que se possua o poder para isso. É preciso ter medo, sim senhor. Eles traem-nos com a maior das facilidades.

Woman Once a Bird disse...

Mas aí é que está, caro His_tory: É que eu acho que é mesmo esse o objectivo. Lentamente, como quem não quer a coisa, excluí-la da componente geral.
Concordo plenamente com Provavelmente Talisca. É ingénuo continuar com a postura de "até aqui nem é muito mau."