domingo, 23 de abril de 2006

Valentias domingueiras

Exorcizo parte do meu masoquismo de cada vez que compro o Público e dele consta o contributo dessa figura que responde por Vasco Pulido (e dizem) Valente.
Abomino o homem; acho-o pedante e, imagino-o de peito inchado a escrever as suas estopadas. Mas, tal como o meu outro ódio de estimação, Sousa Tavares, o Proscrito (o maior injustiçado dos últimos tempos porque o seu País o quer escorraçar e ao seu cigarrinho dos espaços públicos) ainda lhe encontro algumas benesses.
Dizia eu que em dia de VPV, a primeira coisa que faço é ler a coluna do dito (estrategicamente colocada na última página). O exercício é esgotante, pois invariavelmente irrito-me. Mas, em abono da verdade, todo e qualquer conteúdo que conste do restante jornal, por mais pessimista ou desolador que seja, parece-me sempre melhor que os vaticínios do comentador de última página. E deste modo, VPV tem um efeito positivo em mim. Porque depois dele, venha o que vier, nada me parece tão mau!
Pois bem, o VPV de hoje, a certa altura escreve "Sócrates gozava de uma fama de obstinado e "duro", que ao princípio pareceu justificar. (...). Mas recentemente dá a impressão de que perdeu a energia e a força e se contenta com um ou outro exercício de retórica e propaganda. O que se percebe. É fácil perorar num jornal (...) sobre o que se deve ou não fazer. Não é fácil fazer o que se deve (...)."
Sorry? Aqui, acertou no alvo. Porque efectivamente deve ser infinitamente mais fácil ser pago para lamentar-se e disparar para todo o lado algumas vezes por semana do que fazer efectivamente algo. Acredito que tenha sido absolutamente genuíno.
A mim só me enerva que lhe paguem para isto.

8 comentários:

Dirim disse...

Só continuo sem perceber porque o continuas a ler.. masoquismo? É que a explicação que depois de o leres nada te parece tão mau, sinceramente.. não me convence...

rps disse...

Miss WOAB! Independentemente do conteúdo em si, o VPV escreve como ninguém!

Sancho Gomes disse...

WOAB:

não percebi se a tua irritação resulta da petulância do VPV, se das suas afirmações chocarem com o politicamente correcto para onde tu, por vezes, tendes a cair.

Ainda por cima porque o VPV muitas vezes exagera, mas a análise domingueira corresponde - que nem ginjas - à realidade!

Latin disse...

Isto é mesmo de terror!!!
E ainda falam de jornalismo de qualidade
Bjs

Anónimo disse...

Valentias polidas! Miguel Sousa Tavares... até gosto bastante! Bjinhos (Nefertiti)

Woman Once a Bird disse...

Sancho:
Repara que ao afirmares que eu tenho tendência para o políticamente correcto, podemos também fazer a leitura que tu tendes para o lado do incorrecto... ;)
Oficialmente, welcome (sim, porque já por cá cirandaste que eu topei-te).

Woman Once a Bird disse...

RPS:
Achas? Eu sei que gostas imenso dele, mas eu por acaso, assim de repente, consigo pensar em vários da minha preferência.
Isto de comentadores, jornalistas e etc. Porque se passarmos para outro patamar, nem considero comparar...

Sancho Gomes disse...

woab,

obrigado!

Eu também não fiz questão de ocultar.

Beijos