segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Runião geral das pessoas que dizem tufone

The GatheringGlen Tarnowski


Eu bem sei que a Língua é um organismo vivo e, portanto, em permanente mudança. Que o que dita a curva da fertilidade lexical é o uso que os/as falantes fazem da sua Língua. Também estou ciente que é provável que, daqui a uns anos, quinhentas gramas se tenha tornado na fórmula correta, apesar de, atualmente, a palavra [grama] ser (ainda) do género masculino.

Mas estou convicta que no dia em que, por insistência de alguns/mas cidadãos/ãs,  os telefones passarem a tufones e as reuniões a runiões  ter-se-à prestado um estranho [péssimo] serviço à Língua portuguesa.


2 comentários:

Jools disse...

Estamos de acordo em quase tudo, mas no que diz respeito às unidades de peso não creio que alguma vez passe a ser o modo correto (mas posso estar só a subestimar a estupidez do legislador do futuro): é que a unidade de massa do Sistema Internacional é o Kilograma e _o_ grama é uma subunidade.
A não ser que nessa altura se vá comprar _duas_ quilos de chicharros...

Livros e outras manias disse...

Ui, já todos dizemos tanta coisa que, se reparássemos, nos punham os cabelos em pé... Por exemplo "arve" em vez de "árvore", "tamãe" em vez de "também". Se gravássemos as nossas conversas informais, seria um desastre.

Mas pronto, os portugueses são pródigos em comer letras. Afinal, dizemos Coruche quase como se fosse Cruz e dizemos "vgaish" ("vogais") e "cashdsdré" (Cais do Sodré).

E ainda nos queixamos que os espanhóis não nos compreendem. Pudera!

Mas é tudo normal, faz impressão, mas a língua pula e avança... No dia em que determinada palavra se torna incompreensível, os falantes rapidamente inventam uma forma qualquer de a distinguir das outras. Virá daí o "treuze" (c'horror!)...