sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Da série pérolas a porcos (mas ao contrário)

Ainda não é cardeal, mas ao que parece quer começar com o pé direito: o novíssimo cardeal Manuel Monteiro de Castro quer mostrar serviço, e para atestar que esta não é uma igreja pelas e para as mulheres (apesar de ser alimentada em grande parte pelas mesmas) afirma que a mulher deve ser encorajada a ficar em casa a tempo inteiro ou parcial a fim de que «possa aplicar-se naquilo em que a sua função é essencial, que é a educação dos filhos.» 
Não contente com estas confusões essencialistas, e porque a função fundamental da mulher é a educação dos filhos, mas não é a única, acrescenta que «se a mãe tem de trabalhar pela manhã e pela noite e depois chega a casa e o marido quer falar com ela e não tem com quem falar...» As reticências são bem elucidativas desta outra função, certamente essencial, que anda a escapar à mulher.
A mim só me ocorre um conselho: Ó homem, trate-se!

2 comentários:

ECO(in)SONORO disse...

Cara Woman,

Recorrendo a uma gralha na dita biografia do excelentíssimo, permita-me ironizar dizendo que, apesar de tudo, temos de ter em consideração a centenária experiência do senhor!

Ora, segundo as fontes oficiais, por entre uma longa experiência diplomática, o excelentíssimo já teria quase uns 180anos de maturidade intelectual! (risos)

"D. Manuel Monteiro de Castro tem uma longa experiência diplomática ao serviço da Santa Sé, que o fez passar, entre outros países, pelo Panamá, Guatemala, Vietname, Austrália, México, Bélgica, Caraíbas, El Salvador, Honduras, África do Sul e Espanha, onde permaneceu entre 2000 e 2009; foi também observador permanente do Vaticano na Organização Mundial do Turismo.

Natural de Santa Eufémia de Prazins, Guimarães, onde nasceu a 29 de março de 1838, o novo cardeal foi ordenado padre em 1961 e bispo em 1985."

(http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?&id=89633)

helena disse...

D. Manuel Monteiro Castratis