segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

"gostar de ti"

Eu podia chamar-te pátria minha dar-te o mais lindo nome português podia dar-te um nome de rainha que este amor é de Pedro por Inês. Mas não há forma não há verso não há leito para este fogo amor para este rio. Como dizer um coração fora do peito? Meu amor transbordou. E eu sem navio. Gostar de ti é um poema que não digo que não há taça amor para este vinho não há guitarra nem cantar de amigo não há flor não há flor de verde pinho. Não há barco nem trigo não há trevo não há palavras para dizer esta canção. Gostar de ti é um poema que não escrevo. Que há um rio sem leito. E eu sem coração. MANUEL ALEGRE Excelentes escolhas, sr. Funes. Muito obrigada.

3 comentários:

Woman Once a Bird disse...

Eu apenas estranho que o Sr. Funes recomende Manuel Alegre. Mas insondáveis são os caminhos...

hg disse...

caminhos ínvios, às vezes : )

lancelot disse...

Acho que é a Paula Oliveira que canta de forma superior este mesmo poema.
É maravilhoso.