quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Mi Cama Es Su Cama

Esta blogger considera que os/as 90.000 assinantes da petição que defende o referendo em relação ao casamento entre pessoas do mesmo sexo também devem assinar esta outra, nem que seja por uma questão de coerência.

15 comentários:

Funes, o memorioso disse...

A ideia é engraçada, mas a recusa em assinar esta nova petição não envolve para os 90.000 que assinaram a outra nenhuma incoerência. É que eles consideram o casamento (monogâmico) entre pessoas do mesmo sexo uma instituição natural que não tem, por isso, que ser submetida a referendo. A sua incoerência está, sim, em terem pedido o referendo do casamento de pessoas do mesmo sexo. É que para eles esse casamento é contra-natura. E se é contra-natura, não pode ser sumetido a referendo. Tal como não passa pela cabeça de ninguém, por exemplo, submeter o homicídio a referendo.
O referendo pedido sobre o casamento de pessoas do mesmo sexo é, não escondamos a realidade, uma pura e repugnante hipocrisia de alguns católicos (respeito aqueles católicos que são contra o casamento gay e se recusaram a assinar a petição do referendo). E a prova disso mesmo é que nunca antes se lembraram de submeter a referendo essa questão. Lembraram-se agora que o PS decidiu aprovar a coisa. E lembraram porque estão convencidos que o não ao casamenro gay ganha. O que eu não me iria rir, se ganhasse o sim (hipótese não de todo descabida, se pensarmos que à esmagadora maioria das pessoas a questão não diz nada e, portanto, não iriam votar, sendo certo que provavelmente aquelas para quem a questão é verdadeiramente importante são as que votam "sim").
Não era absolutamente delicioso ver os argumentos dosm 90.000 se o "sim" ganhasse?
Já estou a vê-los: que o referendo não era vinculativo, porque não tinha votado toda a gente; que a campanha não tinha sido esclarecedora e as pessoas não tinham compreendido o que estava em causa; que a pergunta estava mal formulada; que os órgãos de comunicação não tinham deixado passar a mensagem do "não"; que...

Woman Once a Bird disse...

É claro que o Funes tem razão. Mas não deixa de ser engraçada a ideia de virar o bico ao prego.

Woman Once a Bird disse...

E sim, numa faceta completamente perversa seria delicioso que de repente lhes faltasse o chão na eventualidade do sim ganhar. Mas o Funes acredita mais nos/nas portugueses/as do que eu; não acredito que a maior parte dos/das homofóbicos deste País deixasse a preguiça levar a melhor.

everything in its right place disse...

fantástico!

agora toda a gente acha que é fino ser anti-democráta e desata a convidar(???!!!???) toda a gente a não deixar pessoa nenhuma tomar posição!

mas estará tudo doido???

rps disse...

Sou contra referendos.
Sou heterossexual
Discordo que as uniões entre pessoas do mesmo sexo sejam, pela lei civil, designadas por "casamento".

Serei homofóbico?

hg disse...

Dr.ª H. responde:

Rps, o senhor não é homofóbico : ), pode fazer a sua vida normalmente.

Woman Once a Bird disse...

Everything, é a essa a tua leitura da coisa?

everything in its right place disse...

sim.
mesmo sabendo que quem quer convocar esse referendo quer convoca-lo para poder votar contra e não por pura e simplesmente querer dar a sua opinião, acho totalmente anti-democrático um movimento para impedir essa convocatória.

Woman Once a Bird disse...

Um movimento? Ó homem, mas tu foste ao link do post?

Woman Once a Bird disse...

Na minha perspectiva, completamente anti-democrática é a instrumentalização de uma das ferramentas da democracia num assunto cuja aprovação não constituirá agravo para ninguém, mas cuja proibição perpetua a situação de cidadãos de segunda para alguns cidadãos.

rps disse...

Uff!.. Obrigado, HG. Fico aliviado.
È que eu não quero ser homofóbico: gosto de ser moderno, assim open-mind, está a ver?

Woman Once a Bird disse...

Oh RPS, por quem és! Então nós não sabemos que tu és open-minded? Quantas e quantas vezes nos manifestaste a tua simpatia para com os adeptos de zoofilia? Por cá nunca nos passaria pela cabeça julgar que não serias muito open-minded.

Anónimo disse...

- Mãe, vou casar!
- Jura, meu filho ?! Estou tão feliz ! Quem é a moça ?
- Não é moça. Vou casar com um moço. O nome dele é Murilo.
- Você falou Murilo... Ou foi meu cérebro que sofreu um pequeno surto psicótico?
- Eu falei Murilo. Por que, mãe? Tá acontecendo alguma coisa?
- Nada, não.. Só minha visão que está um pouco turva. E meu coração, que talvez dê uma parada. No mais, tá tudo ótimo.
- Se você tiver algum problema em relação a isto, melhor falar logo...
- Problema ? Problema nenhum. Só pensei que algum dia ia ter uma nora... Ou isso.
- Você vai ter uma nora. Só que uma nora... Meio macho. Ou um genro meio fêmea. Resumindo: uma nora quase macho, tendendo a um genro quase fêmea...
- E quando eu vou conhecer o meu. A minha... O Murilo ?
- Pode chamar ele de Biscoito. É o apelido.
- Tá ! Biscoito... Já gostei dele... Alguém com esse apelido só pode ser uma pessoa bacana. Quando o Biscoito vem aqui ?
- Por quê ?
- Por nada. Só pra eu poder desacordar seu pai com antecedência.
- Você acha que o Papai não vai aceitar ?
- Claro que vai aceitar! Lógico que vai. Só não sei se ele vai sobreviver... Mas isso também é uma bobagem. Ele morre sabendo que você achou sua cara-metade... E olha que espetáculo: as duas metade com bigode.
- Mãe, que besteira ... Hoje em dia ... Praticamente todos os meus amigos são gays.
- Só espero que tenha sobrado algum que não seja... Pra poder apresentar pra tua irmã.
- A Bel já tá namorando.
- A Bel? Namorando ?! Ela não me falou nada... Quem é?
- Uma tal de Veruska.
- Como ?
- Veruska...
- Ah !, bom! Que susto! Pensei que você tivesse falado Veruska.
- Mãe !!!...
- Tá..., tá..., tudo bem... Se vocês são felizes. Só fico triste porque não vou ter um neto...
- Por que não ? Eu e o Biscoito queremos dois filhos. Eu vou doar os espermatozóides. E a ex-namorada do Biscoito vai doar os óvulos.
- Ex-namorada? O Biscoito tem ex-namorada?
- Quando ele era hétero... A Veruska.
- Que Veruska ?
- Namorada da Bel...
- "Peraí". A ex-namorada do teu atual namorado... E a atual namorada da tua irmã. Que é minha filha também... Que se chama Bel. É isso? Porque eu me perdi um pouco...
- É isso. Pois é... A Veruska doou os óvulos. E nós vamos alugar um útero.
- De quem ?
- Da Bel.
- Mas . Logo da Bel ?! Quer dizer então... Que a Bel vai gerar um filho teu e do Biscoito. Com o teu espermatozóide e com o óvulo da namorada dela, que é a Veruska...
- Isso.
- Essa criança, de uma certa forma, vai ser tua filha, filha do Biscoito, filha da Veruska e filha da Bel.
- Em termos...
- A criança vai ter duas mães : você e o Biscoito.E dois pais: a Veruska e a Bel.
- Por aí...
- Por outro lado, a Bel...,além de mãe, é tia... Ou tio.... Porque é tua irmã.
- Exato. E ano que vem vamos ter um segundo filho. Aí o Biscoito é que entra com o espermatozóide. Que dessa vez vai ser gerado no ventre da Veruska... Com o óvulo da Bel. A gente só vai trocar.
- Só trocar, né ? Agora o óvulo vai ser da Bel. E o ventre da Veruska.
- Exato!
- Agora eu entendi! Agora eu realmente entendi...
- Entendeu o quê?
- Entendi que é uma espécie de swing dos tempos modernos!
- Que swing, mãe?!!....
- É swing, sim! Uma troca de casais... Com os óvulos e os espermatozóides, uma hora no útero de uma, outra hora no útero de outra...
- Mas..
- Mas uns tomates! Isso é um bacanal de última geração! E pior... Com incesto no meio...
- A Bel e a Veruska só vão ajudar na concepção do nosso filho, só isso...
- Sei!!!... E quando elas quiserem ter filhos...
- Nós ajudamos.
- Quer saber? No final das contas não entendi mais nada. Não entendi quem vai ser mãe de quem, quem vai ser pai de quem, de quem vai ser o útero, o espermatozóide... A única coisa que eu entendi é que...
- Que.. ?
- Fazer árvore genealógica daqui pra frente... vai ser f...

(Luiz Fernando Veríssimo )

Woman Once a Bird disse...

É suposto fazer o quê com a longa citação? Levá-la a sério?

Woman Once a Bird disse...

Ó anónimo, já se recompôs ou ainda está a deitar contas à genealogia (da moral)?