sexta-feira, 17 de abril de 2009

A não perder


DARWIN E A RELIGIÃO
Sala do Senado (Tecnopolo) - Universidade da Madeira
20 de Abril de 2009 - 18h

VALORES E A SOCIEDADE ACTUAL
Sala de Sessões - Escola Secundária Francisco Franco
21 de Abril de 2009 - 10h

Conferências proferidas pelo Professor Anselmo Borges*, abertas ao público em geral.


*Docente da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra no curso de Filosofia.
Padre da Sociedade Missionária e cronista semanal do Diário de Notícias de Lisboa.
Publicações: Marx ou Cristo; Janela do (In)finito; Janela do (In)visível; Religião: Opressão ou libertação; Morte e Esperança; Corpo e Transcendência; Deus no Séc. XXI e o Futuro do Cristianismo (coordenação).

6 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Tirando o facto de todo o seu pensamento estar contaminado pelo facto de acreditar em Deus, do pouco (muito pouco, na realidade) que li de Anselmo Borges ficou-me a ideia que ele era bom.

Luis Bento disse...

A não perder... o vosso espaço!

Anónimo disse...

Ora que porra. Até para falar de Darwin, que deveria dar voltas na na cova se soubesse disto, têm de convidar um padreco...
Ò país miserável!
Que falta que nos faz a Reforma...

Woman Once a Bird disse...

Pois é, caro anónimo. Que País o nosso em que, anonimamente, se comenta sobre o que não se sabe. Tenho para mim que as voltas de Darwin seriam mais pelo tipo de comentário que fez, quando não assistiu à conferência, nem faz ideia do que foi apresentado. De polícias do pensamento está este País cheio.

Anónimo disse...

Hum...

De facto não assisti. E ainda bem. Penso que o cavalheiro da batina deve ter dito algo parecido com isto:

http://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1134633

que contem isto:

"De facto, como é evidente, a existência de Deus não é nem pode ser objecto de ciência. Mas afirmar taxativamente que a evolução é mero produto do acaso não deixa de ser também uma posição dogmática. A ciência vai respondendo ao "como" da evolução, mas não responde ao "porquê", concretamente ao porquê e para quê da existência do Homem e de tudo: "Porque há algo e não pura e simplesmente nada?""

Ao que comento: Muito gosta o macaco humanoide de se por em bicos de pés e tentar encontrar um significado para a sua existência...
A realidade é muito mais crua e simples. Não tem de ter um "porquê" nem um "para que". Apenas aconteceu. Nada mais.
O "algo" é a consciência desse acontecimento, ou seja, a inteligencia. Que é, nada mais, que o resultado da evolução. Um mecanismo para a sobrevivência.

E peço desculpa pelo primeiro comentário e também por este. De facto, não vale a pena falar.

Woman Once a Bird disse...

Mas o que defende? Que se calem os que não concordam comigo? É que ainda não percebi.