domingo, 8 de março de 2009

Em dia que se celebram as conquistas sociais, económicas e políticas das mulheres, trazemos um discurso (da autoria de um dos nossos mais amados poetas) representativo das palavras (entre tantas outras que se continuaram a ouvir pelo mundo fora) contra as quais mulheres e homens humanistas e feministas levantaram a voz:

"(...) Assim, rejeitamos: a democracia, todas as formas de governo não-aristocrático, todas as fórmulas humanitárias, todas as fórmulas de desequilíbrio como, por exemplo, o imperialismo germânico ou a democracia aliada; rejeitamos o feminismo, porque pretende igualar a mulher ao homem e conceder à mulher direitos políticos e sociais, quando a mulher é um ser inferior apenas necessário à humanidade para o facto essencial mas biológico apenas da sua continuação; rejeitamos as ternuras anti-científicas, como o vegetarianismo, o anti-alcoolismo, o anti-vivisseccionismo, não admitindo direitos aos animais inferiores ao homem."

Excerto do Programa do Neo-Paganismo Português (1917), Fernando Pessoa.

2 comentários:

Maria Velho disse...

Pois é...de Pessoa a Neruda, e nunca esquecendo esse expoente máximo que toda a gente cita, sem saber do que fala, o tio Freud! o sexismo e o anti-feminismo está tão entranhado que até dói!
Mas, como diria "a outra" , pelo menos já lhe podemos cair em cima!
Bom domingo! Dia da Mulher é para toda a vida.

Jeune Dame de Jazz disse...

Só para assinalar que passei por aqui... e, já agora, se fosse Sartre diria que "este dia" dá-me náuseas...uma boa continuação...