sábado, 28 de junho de 2008

Post(al): queridas amigas, Woman e Ceridwen,


Misha Gordon

" Mais fascinante ainda é a história de Lilith. A tradição judaica conta que Eva não foi a primeira mulher de Adão,mas que existiu Lilith. E esta quis ser igual ao homem: indignava-se, por exemplo, que a forçassem a fazer amor debaixo de Adão, uma posição que lhe parecia humilhante, e reclamava os mesmos direitos que o homem. Adão, aproveitando a sua maior força física, tentou obrigá-la a obedecer, mas então Lilith abandonou-o. Foi a primeira feminista da Criação, mas as suas moderadas reivindicações eram obviamente inadmissíveis para o deus patriarcal da época, que converteu Lilith num diabo mata-crianças e a condenou a sofrer a morte de cem dos seus filhos todos os dias, horrendo castigo que emblematiza perfeitamente o poder do macho sobre a fêmea. É talvez no mito de Lilith esteja subjacente a memória esquecida dessa possível transição entre um mundo antigo não sexista (com mulheres tão fortes e tão independentes como os homens) e a nova ordem masculina que se instaurou depois."

"Introdução - A vida invisível" in Histórias de Mulheres, Rosa Monteiro, Edições Asa, 2000

P.s.: que tudo corra bem. Se puderem, vejam a peça de teatro NEXT : ))


3 comentários:

Woman Once a Bird disse...

Danke. Nem sabes o que perdeste. ;)

nefertiti disse...

ganhei uma resma de exames do nono ano :(

Woman Once a Bird disse...

Sei bem o que isso é. Espero pela 2.ª fase...