sábado, 17 de maio de 2008

A minha verdadeira devoção

(Marc Chagall)


Nada garante que tu existes

Não acredito que tu existas

Só necessito que tu existas


de David Mourão-Ferreira


3 comentários:

Lueji disse...

Acho que a necessidade faz acreditar.

dama disse...

O Chagall também me veio com o primeiro grande porventura único amor.
Faz tempo que não visitava a blogosfera. Ainda bem que se mantém a qualidade e se incluiu Lekker.

Woman Once a Bird disse...

Que bom que voltaste, Dama. ;)