sábado, 23 de fevereiro de 2008


A ânsia da escrita passara,
A intensidade das palavras esgotara-se.
Abdicara agora da memória,
Desse pedaço de lembranças expurgadas no tempo

Decidira que ao fechar os olhos não veria
Mais os seres de outrora
De ora em diante
Formalizara o contrato com a deusa

E ela - e outras - não mais lhe enviariam mensagens.
Já não era preciso.
She had learn her lesson:
Fo(r)-ever.

Foto de Rupak de Chowdhuri

2 comentários:

Lueji disse...

Que as palavras continuem a jorrar, tal como agora.

nefertiti disse...

este poema está em sintonia com o meu pensamento. adorei.