quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Cogitações avulsas de uma esquerdina

Pois eu, como boa esquerdina que sou, posiciono-me algures mais à esquerda. Não sei bem onde, mas tenho alergia a direitas, encarreiramentos, polos da Lacoste ou da Sacoor. Abomino cabelinhos loirinhos a laurear cabecinhas pensadoiras dos meninos (e meninas também) que se dizem de partidos (que se dizem) de direita, que se medem pelas cunhas e contas bancárias que engordam com retórica barata. Detesto os "valores familiares" que enchem a boca destes mimados (e dos outros mais velhos também); considero execrável o tique de interferir na vida privada de cada um de nós e explicar-nos (como se fossemos crianças de quatro anos) com quem e como devemos comportarmo-nos sexualmente. Sou avessa às gravatas e aos sapatos excessivamente polidos, às vidas duplas, aos impolutos morais frente aos microfones; às contas bancárias secretas; às negociatas perpretadas graças a um qualquer buraco (negro) na lei. Detesto os sermões aos peixes e as apologias a esta cambada de hipócritas. Sempre me soou mal aquela história do "sentado à direita de Deus Pai todo poderoso". Porquê? Qual é o problema de ficar à esquerda?

12 comentários:

nefertiti disse...

Lanidor? escapa?
Na Salsa há coisas giras!! Saldos! : )))

lancelot disse...

Já fui assim. Serei um vendido ?
Um derrotado da vida ?

Só este post para me fazer rir.

Eu gosto da roupa da Sacoor. É confortável.

Os pólos da Lacoste, se com a côr bem escolhida, até são bonitos.

Não me diga que temos de boicotar essas marcas de roupa juntamente com o Macdonalds e a Coca Cola ?

Já agora deixar crescer e desgrenhar os cabelos, comprar umas calças de ganga em 2ª mão, uma t-shirt negra e ir voltar para o Tropical beber uns finos ?

Bem ir para o Tropical para os finos, até que é boa ideia.

Quando se definem pessoas pela sua aparência exterior (seja por que método de avaliação e por que medida fôr) estamos a caminhar nem para a esquerda, nem para a direita, apenas para o fascismo e isso é muito perigoso.

Woman Once a Bird disse...

Tropical não Lancelot. Académico.
E as referências à sacoor e à lacoste não implicam absolutamente nada. Pouco me importo com o que as pessoas vestem ou não. Apenas referia o tipinho que está por trás de muitos polos. E isso também acontece com os tipos (e tipas) desgrenhados e com roupa em 2.ª mão. ;)

lancelot disse...

ah bom. Assim já nos entendemos, mas eu fico na esplanada do Tropical.

Woman Once a Bird disse...

Ok. Cumprimento-o do Académico. ;)

Woman Once a Bird disse...

Mas Lancelot...
Fica à direita ou à esquerda do Pai? Ou também é avesso a paternidades deste tipo?

Sancho Gomes disse...

Eu sou mais Benetton, Timberland e Gant. Ah, e o perfume é Drakar Noir (Guy Laroche). Sempre! Serei mimado e impoluto moralista?
Quanto às negociatas e às contas bancárias, infelizmente não me posso gabar de me encaixar no perfil por ti definido. Aliás, sobre homens e mulheres de direita, disseste mesmo muito pouca coisa. A não ser a referência final...
bjs

Woman Once a Bird disse...

Cruzes canhoto. Levaste a coisa a peito. Resta saber se mais à direita ou à esquerda.

jorge c. disse...

Como diz o Caetano Veloso, esquerda e direita são palavras muito pretensiosas para os dias de hoje.
De qualquer forma, não me parece que seja por aí a definição.

samya disse...

Como sempre faço minha cada uma das tuas palavras!

Sancho Gomes disse...

Pergunta existencial:
Correrei o risco de ser linchado???

Woman Once a Bird disse...

Pergunta ao outro (com letra minúscula que há coisas com as quais não se brinca).