quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

ARTE-NABA

Quando o T., criança de nove anos, perguntou se tínhamos gostado da exposição, fez-se silêncio. Nenhum dos três adultos respondeu. Ele tinha ido connosco e, provavelmente, achou estranho, porque não houve quaisquer trocas de impressões nem reparos acerca da exposição. Contudo, ele foi persistente e individualizou a pergunta. Apanhou-me e, forçosamente, tive que responder: - Pois, T., eu não gostei propriamente… Talvez porque não estou preparada para entender aquelas pinturas ou composições, nem sei bem. Devia estar mais informada ou preparada… Se calhar aquilo que vi é um novo género de arte. Há uma mensagem naquilo tudo, mas eu não consegui captá-la...
Lamento, mas sinceramente não consegui gostar. Uma arte nova… O T. divertidíssimo rematou: - Sim, tens razão! Assistimos a uma exposição de ARTE-NABA! A partir daquele momento, todos quebraram o silêncio, inclusive a amiga da artista. Por outras palavras, ninguém tinha gostado da exposição da Arte-Naba e fartámo-nos de fazer as leituras mais estapafúrdias sobre aqueles trabalhos. Nota: O T. conseguiu salvar o final da tarde. Um génio aquele rapazinho!

2 comentários:

Woman Once a Bird disse...

Primeiramente percebi arte-nada. Mas T. é tramado, é. ;)

jorge c. disse...

Nada como uma criança para nos fazer dizer a verdade. Será um bom princípio para se começar a chamar os bois pelos nomes.