segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

"Ah, o vício das palavras.

Uma vez saídas da boca não podemos recolhê-las. E cuidado também com a palavra escrita, causa de incontáveis tragédias que se poderiam ter evitado com um mínimo de prudência."
Isabel Allende in Afrodite - Histórias, Receitas e Outros Afrodisíacos
Relembra o trecho lido há tantos anos. Sabe que as palavras abrem janelas cuidadosamente fechadas. Esforça-se por fechá-las rapidamente para poder voltar em/ao silêncio. O vício, o vício, repete incessante e mentalmente, rememorando antes estas do que as outras, originárias.

2 comentários:

Lueji disse...

Lembrei-me disto:
"São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas."
E. Andrade

Woman Once a Bird disse...

:)