sábado, 15 de dezembro de 2007

"Sensibilidade graciosa" (Tristan Tzara)

Teve a sua piada.* Eis o que restou da crónica: Eternamente Pouco importa o que penso Própria voz, carne viva, Imaginava como complicado E infinito orgulho Adiada, Lavrada Enfileirei de autor, As páginas de ossos. *Mas não tem ponta por onde se lhe pegue, a não ser a "arte" do corte. Restam os recortes, as palavras solitárias, sem o entendimento inicial.

1 comentário:

nefertiti disse...

anatomicamente falando ou escrevendo