quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

O Pinheiro da Actualidade








Pediram-me ideias para a Árvore de Natal do bar dos alunos. Gostei. Ideias é mesmo comigo. Eis a descrição que fiz:

A estrutura (a mais simples possível) do pinheirinho que os meninos do curso de Carpintaria fizeram, será toda forrada com folhas de jornais. O efeito ficará engraçado porque enrolamos tiras de papel preenchido com letras e imagens (o melhor jornal para isso é o d´A Bola! É muito colorido e há sempre muito porque são óptimos para limpar os vidros lá de casa!). Depois passamos um pouco de verniz por toda a estrutura.
Faremos uma estrela forrada também com folhas de jornais ou de revistas (as folhas de revistas como a Maria, a Nova Gente e outras da chamada imprensa cor-de-rosa são as mais indicadas e sempre podemos dar aquele toque de... utilidade ao papel já desperdiçado), para depois pôr no cima do dito pinheiro que, por sua vez, ficará assente num vaso cheio de tiras de folhas da imprensa escrita.
De seguida, os alunos irão fazer uma pesquisa e uma recolha de imagens sobre os seguintes assuntos: guerras actuais; fome no mundo; catástrofes ecológicas; doenças; "obesidades"; "magrezas"; "normalidades e anormalidades"; moda; “primeiros, segundos e terceiros mundos”; sem-abrigo; cultura e culturas; tecnologias; pedofilia; etc.… Ou seja, assuntos da actualidade.
Por fim, o pinheiro irá ser decorado com as imagens e mensagens da referida e trabalhada actualidade sob forma de "postaizinhos".
O pinheiro irá ser original, quase que posso garantir.

Ficou feito, mas o resultado final foi deturpado, ou seja, os postais foram ilustrados com baboseiras do género: pais natais, sinos, anjinhos, meninos Jesuses, presépios, virgens Marias, bons natais, boas festas... o blá blá do costume! Não há volta a dar. Afinal de contas, Natal rima com Carnaval.

11 comentários:

Woman Once a Bird disse...

E como estrela, no topo, o mítico "chapéu" da Carmen Miranda.

nefertiti disse...

com muita fruta da época : ))

Rosa Oliveira disse...

Eu gosto do Natal.
Gosto das luzes, dos presépios de Porto Santo e Madeira (magnificos!), das felozes (que não sei fazer), dos doces, das crianças a abrirem presentes e dessas baboseiras todas.
Lamento não ter oportunidade de visitar o Funchal. Adoraria ver todas as luzes... não nevar em Porto Santo, também é de lamentar. Adorava ver o areal coberto de neve, as crianças a brincarem e a fazerem bonecos de neve. Maravilha!

O consumismo e a hipocrisia está para o Natal, assim como, o Dia dos Namorados está para o namoro.É outra coisa...

Já agora:

- Feliz Natal. Hoje, amanhã, quando desejarem, afinal, natal é quando os homens e as mulheres quiserem.

Rosa Oliveira disse...

Inicialmente fiquei chocada com a imagem relativa a F.L.. depois pensei:

- Matar um bicho para lhe vestir a pele é exactamente a mesma coisa que matá-lo para o trinchar com faca e garfo. Logo, não sejamos hipócritas.

nefertiti disse...

mas eu também adoro o Natal, principalmente no que toca àS férias. também gosto de baboseiras.
eu gosto, amo, adoro e venero tudo! eu farto-me de amar! Aliás, passo a vida a pensar que amo tudo e mais alguma coisa. se não amo, tento amar.
feliz natal.

Woman Once a Bird disse...

Na minha perspectiva há uma diferença substancial entre matar os animais para alimento e matá-los para lhes vestir a pele. E se considerarmos os requintes de crueldade para que o pêlo se conserve mais brilhante e sacie a vaidade bacoca de quem as veste...

lancelot disse...

O Natal existe porque o melhor do mundo são as crianças e estas gostam muito do carnaval.

nefertiti disse...

O Natal existe para tornar mais as nossas crianças consumistas. Cosumo sem olhar a quem e a quê. Continua a rimar com Carmaval.

Rosa Oliveira disse...

Julgo perceber.
Sabes como se matam os porcos, as vacas, nos matadouros? Sabes como se matava (ainda se mata) um porco, no campo? Sabes o que sucede ao porco, quando a faca impunhada pelo homem que o há-de comer, não é certeira?
Sabes como se matam as galinhas nos aviários?
etc etc etc
Sei que sabes.

Dir-me -ás que é para alimento. Pois é, as peles dos casacos, sapatos, carteiras, também são para o alimento...

O natal existe, para que o Pai Natal não tenha que receber subsídio de desemprego, menos ainda, rendimento minímo.

nefertiti disse...

Rosa Oliveira, eu vou ser muito clara: eu detesto tudo que aquela estúpida armada em artista faz. Agora andar a matar os animais para fazer os trapos que ela desenha ou faz? Poupa-me, porque sempre associei aquela mulher ao lixo!
Em relação aos matadouros, julgo que têm que cumprir leis... minimizar a dor do animal é uma delas, penso eu.
Em relação à matança do porco, apesar de ainda ser uma prática, porque há quem goste da tradição, é proibida!

Rosa Oliveira disse...

Nefertiti
o que disse não se referia à estilista madeirense. Referia-se (refere-se) a qualquer pessoa que faça uso da pele do animal...

Não conheço em pormenor o trabalho de F.L., apenas esta ou aquela notícia que vai surgindo, deduzo daí (mal, talvez...) que, através do seu trabalho (independentemente do seu valor estético ou ético),tem levado Portugal a «outros mundos». O corte de cabelo, sui generis, não lhe aprecio, mas ela gostará.... as roupas, bem, algumas são bonitas, mas com um metro e cinquenta e dois e a vestir 32, não me ficavam bem.

Conheço as leis quanto à criação e matança de porcos.Nasci numa aldeia e já vi matar porcos Razões da UE ou dessa coisa da globalização...