sábado, 29 de dezembro de 2007

Imagens e sons que ficam


Respondendo ao desafio da minha amiga Woman, que não é difícil, pois não me considero de todo uma cinéfila e muito menos uma ouvinte fervorosa de algum género de música específico, ficam aqui os nomes dos filmes cuja sonoridade foi marcante e insuperável:

- Vertigo do incontestável mestre do suspense Alfred Hitchcock. A musicalidade deste filme releva assombrosamente um amor vertiginoso. Soberbo.

-Underground de Kusturica, pois claro. Sons bem vivos, garridos e sempre presentes numa história humanamente trágica. Simplesmente genial.

- Le Fabuleux Destine d´Amélie de Jean- Pierre Jeunet. Um destino bem melodioso e de poucas palavras. Gosto muito do músico Yann Tiersen.

- Paris Texas de Wim Wender. Um filme que há uns largos anos, no âmbito de uma disciplina, fui obrigada a ver, e dele ainda ficou aquele som de desalento existencial e áspero associado à imagem do deserto. Uma sensação de "muitos nadas".

- 2001: Odisseia no espaço de Kubrick. Em relação a este filme, é incontestável a conjugação da imagem com o som. Palavras para quê? Um clássico.

12 comentários:

Woman Once a Bird disse...

Como pude esquecer Underground? ;)

nefertiti disse...

e o Dogville? Como, Woman??

lancelot disse...

Bons filmes sem dúvida.

Discordo da escola da Odisseia no Espaço.
É sempre muito arriscado fazer selecções destas que deixam muitos outros de fora.

Rosa Oliveira disse...

Eu que sou uma inculta em matéria de cinema (noutras também...),realizadores, produtores, nomes de actores e afins, mais ainda, em bandas sonoras de filmes, levo desta leitura um verdadeiro banho (salvo seja) de cultura cinéfala. Jamais me lembraria disto tudo sem uma demorada pesquisa bibliográfica.
Afinal, o que ficou dessas imagens e sons?

nefertiti disse...

Rosa,
Quem me deu a conhecer Yann Tiersen foste tu... e outras coisas mais. obrigada.
Dos filmes que mencionei ficou a "minha leitura" condicionada por uma série de circuntâncias muito pessoais. Lembrei-me destes por um acaso.

Lancelot,
Eu até comprei o filme Odisseia no Espaço.

nefertiti disse...

correcção: circunstâncias

lancelot disse...

Como é possivel alguém ter comprado esse filme. Detestei-o.

Nunca me dei hipotese sequer de o voltar a ver.

É demasiado para a minha "camioneta", confesso.

Woman Once a Bird disse...

Dogville é O filme para mim. Contudo, apesar de gostar da banda sonora, não é o que mais retenho. O texto, Nefertiti, aquele texto!
E olha que apesar de implicar um bocado com Vivaldi, resulta muito bem no filme.

Woman Once a Bird disse...

Lancelot, é o Meu filme de eleição. Acho o argumento brilhante e brutal.

nefertiti disse...

Dogville é um filme que nunca vi. Nem me atrevo.

lancelot disse...

Tenho de o rever. Se alguém que considero inteligente, sensivel e de bom gosto apreciou aquilo, tenho de lhe dar segunda chance.

Sancho Gomes disse...

Pois, no Dogville apenas o argumento e a interpretaçao da Nicole valem alguma coisa. Seria uma belíssima peça de teatro. Enquanto filme, para mim foi uma desilusão absoluta (se bem que o Von Trier, depois do Ondas de Paixão, tem vindo a desiludir um pouco - à excepção do Dancer in the Dark))