quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Feniana, melodia, coração, mar, vento, gaivotas e amizade.

Coração de mar e vento, Que aos corações lanças redes, És perpetuo movimento Na guitarra do Paredes. Pões esperança e amargura, Livras sombra e luz nas notas E em surdina tens gaivotas De saudade e de aventura. Coração tumultuário, Ah, faminto coração, Solidário e solitário A prender nuvens ao chão. Coração da melodia, Coração em que murmuram Sol e lua e se misturam Em funda melancolia. De tantas fomes e sedes, Coração terno e violento, És perpétuo movimento na guitarra do Paredes Ah, faminto coração, A prender nuvens ao chão... Letra: Vasco Graça Moura Música: Mário Pacheco Voz: Mísia In Movimentos Perpétuos – Música para Carlos Paredes

3 comentários:

feniana disse...

querida nefertiti,

um abraço cheio de mar, vento, melodia, amizade
um coração de gaivota.

para ti.

ora!

já o tens, claro!
sou mesmo distraída!
somos;)

ps. como adivinhaste que gosto tanto da guitarra de Paredes? :)

Anónimo disse...

Uma vez, ela disse-me que se casava comigo se lhe tocasse os verdes anos...
Não fui capaz. Não sei se por medo, se por achar que ela devia ficar comigo para sempre porque os verdes anos eram os nossos, em movimento perpétuo, que afinal é assim que funciona o universo.
Perdi-a ?
Não.
Ela vai estar sempre de mão dada comigo.
Obrigado.

Gawain disse...

Vi-te !
Ou antes, sonhei que te vi esta noite num shopping.
Foi uma visão de um universo paralelo. Olhaste-me, sorriste e esse teu olhar disse-me tudo quanto de mais belo já me disseste ou escreveste.
De repente, no abismo de uma escada rolante, desapareste da minha vista, volatilizaste-te deixando-me apenas esse desassossego que é só teu.
Um beijo minha querida.