sábado, 6 de outubro de 2007

Constatação - or does a name really matters?


10 comentários:

Woman Once a Bird disse...

;)

Woman Once a Bird disse...

Vai absolutamente ao encontro da conversa que tive com Nefertiti na passada quinta-feira, antes de embriagarmo-nos com vinho, música e mais conversa. ;)

Anónimo disse...

calma, nós não nos embriagámos! até porque tínhamos que conduzir.
o único excesso que cometi foi o ar mastigável que tive que ingerir!! maldito fumo : ))

Funes, o memorioso disse...

Ser gente, ser maralha, não é nada por aí além. Mai importante é ser pessoa, com dignidade própria e capacidade de pensar de forma adulta. O grande problema do feminismo é que não consegue libertar-se de formas primárias de pensamento e, por essa via, promover a eterna menoridade da mulher.

PS- Releio o meu texto anterior e vejo nele traços típicos do discurso religioso, a defender que a dignidade e a maioridade da mulher atinge-se no lar, a cumprir a sua sagrada missão de esposa e de mãe.
Juro que nada está mais nos antípodas do meu pensamento. O que eu defendo é que a mulher, como o homem, é livre, quando é livre, quando escolhe de forma incondicionada o seu caminho. sem submissão aos dogmas de uma qualquer ideologia.

cuscavel disse...

Não sei de que feminismo fala Funes. Não é ironia, não sei mesmo. O que eu conheço e que me parece ser aqui defendido é, precisamente, um feminismo pela autonomização da mulher (e do homem) face a ideologias, dogmas, práticas – patriarcais. Mas isso só se consegue pela denúncia dessas normas patriarcais. Mas não se trata de colar à realidade chaves de pensamento ou comportamento. O feminismo faz-se no dia-a-dia; faz-se em relação com o outro. O feminismo não é procurar objectos de denúncia. É o questionar da realidade. E a autonomização, a liberdade que Funes fala, é inseparável desse questionamento.

Woman Once a Bird disse...

Subscrevo, na íntegra, o comentário da Cuscavel.

Nuno Carvalho disse...

Tem sentido a expressão... seguramente porque a ironia é o instrumento ideal para expôr injustiças...

Mas... porque muita gente não compreende o que quer dizer feminismo... aqui vai... coisa de dicionário mesmo:

Feminismo: "do Lat. femina - sistema que preconiza a igualdade de direitos entre a mulher e o homem".

simples simples simples...

E não há muito mais que dizer, pois não?

(até me apetece pedir desculpas pelo comentário básico, óbvio... descaído na banalidade... O que é que dizem sobre a lei da gravidade mesmo?)

Woman Once a Bird disse...

Caro Nuno:
O seu comentário é exactamente como os nossos posts sobre esta temática: é absolutamente necessário repetir- ;)
Gostamos de o ter por cá.

provavelmente talisca disse...

Saiu-se! O rapaz das fotos das casas dos outros. Ainda há esperança em Mértola. Olarecas.

nefertiti disse...

tão bem dito:

"O que eu defendo é que a mulher, como o homem, é livre, quando é livre, quando escolhe de forma incondicionada o seu caminho. sem submissão aos dogmas de uma qualquer ideologia."
Funes
vou guardar : )