segunda-feira, 14 de maio de 2007

Epístola a António

Caríssimo: Como neste novo blog não permites comentários, vejo-me obrigada a fazê-lo de longe. Excelente, o teu post de hoje. Mas o problema daquele Encarregado de Educação é um bocadinho pior que um tiny, tiny psychological distress. Suponho que com este precedente, os paizinhos passem a receber uma cópia dos filmes a visionar em casa, de preferência entregues em mão pelo professor. E já que estamos com a mão no preconceito, há um livrito ou dois que bem podíamos lançar à fogueira. Hereges!

6 comentários:

rps disse...

Como já não me lembro onde fui questionado e porque fui adiando o envio de um mail, venho aqui declarar que nada tenho contra mulheres na política. Até bem pelo contrário - acho que há áreas com mulheres a menos, como na política, e outras com mulheres a mais (aqui não me atrevo a teorizar, sob pena de ser cilindrado!)
Apenas não gosto de Madame Royal, não gosto de Mrs. Clinton e não gosto da Artª Roseta e todas têm/tinham adversários melhores que elas, do meu ponto de vista.
Pelo que sei hoje, espero que Barak Obama derrote Mrs. Clinton na luta entre Democratas e que, depois, seja eleito presidente dos EUA.

rps disse...

Em Lisboa, pelo andar da carruagem, que ganhe o Ruben de Carvalho.

Woman Once a Bird disse...

Declaração entregue.

Woman Once a Bird disse...

Eu também acho que na maior parte das áreas de topo, temos homens a mais.

antónio disse...

Eu ponho-me a pensar e não percebo como um brokeback mountain pode causar psychological distress a uma criança. juro que não percebo. A única coisa que talvez o possa fazer são uma ou duas cenas de sexo (não me lembro mas penso que havia), mas ainda um dia destes me pus a conversar sozinho sobre o porquê de tanto problema com as crianças e o sexo. Eu vi o Masoquista Sedutora com menos de uma dúzia de anos e hoje não sou, de forma alguma, um pervertido. Acho que é saudável as crianças verem sexo saudável para começarem a encará-lo saudavelmente desde tenra idade, porque é assim que o sexo passa a ser encarado com naturalidade e não escondendo-o e proibindo o acesso a ele, seja de que forma for, até aos 16 ou 18 anos.
Mas tudo isto é uma grande peta porque toda a gente sabe que para uma criança basta querer e tem sexo à sua disposição sobre infinitas formas, mas o que interessa é as aparências, e já se sabe como é que são os americanos, se se puderem arrecadar uns trocos processando este ou outro não há quem os impeça.
Não sei se isto será propriamente uma questão de preconceito ou de aproveitamento para ver se ganham uns trocos. Seja um ou outro é deplorável e se os apanhasse à minha frente mandava-lhes um pontapé no cu que é o que gente como esta merece.
O mundo está cheio de imbecis, mas isso já não é novidade.
Espero que estejas bem melhor das febres :).

Woman Once a Bird disse...

Dias melhores e dias piores. Hoje tornei a ser tomada de assalto por novo surto (ou mais provavelmente o mesmo).