segunda-feira, 7 de maio de 2007

Cogitações avulsas


Confesso-me exasperada com os brados de alguns sobre o que acontece aos SEUS impostos. Eu, como não lhes vi a Declaração, fico na dúvida. Mas também é verdade que, segundo a impressão de muitos, pertenço ao rol dos maiores ignorantes do País.

Fotografia de Christine Mathieu

5 comentários:

nefertiti disse...

magnífica a fotografia!

Sancho Gomes disse...

E o texto... Será o sangue a falar mais alto?

Woman Once a Bird disse...

Sancho:
Não leias mais do que deves.
Não acho que os madeirenses demonstrem muita inteligência nas urnas. Mas o resto do País também não. E irrita-me alguma sobranceria a esse respeito. Principalmente quando evocam os impostos que pagam, como se o resto do País não os pagasse. De repente, algumas supostas Declarações de Impostos valem mais do que outras. Tal como disse, como não vi nenhuma de quem gosta de alardear as mesmas, desconfio. Até porque geralmente cão que ladra raramente morde (no caso paga).
Olha, na verdade, dá-me vontade de rir. Ri-se o roto do esfarrapado, julgando que está muito bem ataviado.

Sancho Gomes disse...

Companheira,

quanto às opções eleitorais, são pessoais.
Já em relação à leitura, limitei-me a fazer uma observação irónica! É evidente que o que me incomoda não é o facto de haver quem me ache menos inteligente por votar no joãozinho das festas, mas tão-só acharem que pagam para os madeirenses passarem férias. Porque em relação à inteligência nas urnas, depois das eleições de isaltinos, fátimas, majores, engenheiros - que não o são - acho que estamos conversados.

Woman Once a Bird disse...

Sancho:
Sei que votas em consciência (muito embora possamos divergir nesse aspecto). Mas certo é que muitos votam sem saber propriamente em quê, porquê e como. É a isso que me refiro quando falo em pouca inteligência.
Concordo em quase tudo o que referes no teu comentário (coloco o quase porque, como sabes, embirro por desporto). ;)