sábado, 21 de abril de 2007

O meu papá, o engenheiro!

A cena tem cerca de 40 anos. Uma jovem estudante de Conservatório bamboleava-se pelos corredores de livros nos braços com o maior ar afectado que conseguia copiar das imagens de revistas. Logo após a conclusão do curso, a criatura, embriagada pelo odor do diploma adquirido, exigia aos seus jovens alunos que a tratassem por So'tora. A partir daí, apurou ainda mais o andar lento mas cadenciado pelo movimento certeiro de ancas pelos corredores da escola onde iniciou o seu percurso. Afinou a cabecinha a pender ligeiramente para o lado em que a franja lhe atingia os cílios e treinou o salto para ritmadamente marcar a sua passagem pelas salas. Na verdade, tudo aquilo que acaba de ser descrito é absolutamente secundário. Aquilo que mais impressiona na história de C. não tem propriamente que ver com a forma como percorria os corredores ou o título que exigia aos alunos. O que me impressiona é que C., à distância de 40 anos, em conversa com os colegas de Conservatório, utilizava a bengala línguística de "O meu papá, o engenheiro". Obviamente, o papá da criatura não possuía qualquer diploma que atestasse o título (nem um nem dois, como parece acontecer) nem consta que tivesse prestado provas a Inglês (técnico ou não). O papá da criatura só sabia assinar - e mal - o nome. Reconheço-lhe a capacidade visionária de ter percebido que o título que mais se prestaria a aldrabices (e aldrabões) seria o de uma engenharia qualquer.

7 comentários:

Rosa disse...

olha, eu conheço (modo de dizer) uma menina «inginheira» que assenta aqui q nem uma luva.Tem é uns caracolitos em vez da franja e a ancazinha é mesmo inha. a carita escapa, tem um ar limpinho. Não sei o que fará o papá da menina.Lol

nefertiti disse...

status torna as pessoas melhores, está provado cientificamente (em Portugal)!
Rosa, cuidado porque essa é poderosa, she has the power!

Rosa disse...

I no!!!

Woman se a gaja lê o blog, apaga o comentário... ando com uma vontade de lhe dar umas dentadas...mentira, eu não mordo e ela, sabe-se lá por que razão, até me grama. Eu sei porquê: Gosta mais de agradar ao chefe do que a mim.

Woman Once a Bird disse...

Achas que alguém que responde por "inha" passa por cá? Na!
Mas se quiseres, apago. Que dizes?

Rosa disse...

Meninas eu estava a brincar.
Quero lá saber dessa gaja.
É verdade que anda toda sorrisos comigo.
Sou mesmo distraida, óbvio que nenhuma inha ou inho, exceptuando menininha ou menininho, passa por aqui.

everything in its right place disse...

mas o pai dela era engenheiro porque trabalhava numa fábrica com um engenho!

não estava a mentir!!

Woman Once a Bird disse...

Salvaguarde-se o Pai da moça que, coitado, nem sabia que era engenheiro...