quinta-feira, 5 de outubro de 2006

Os fundamentalistas moram ao lado.

De morrer a rir, o que descobri no Síndrome de Estocolmo. No País das Maravilhas, farol da humanidade no que diz respeito à liberdade e cidadania, criou-se uma nova cruzada digna do século XXI, materializada na exortação à abstinência sexual como forma de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez.* Vai daí que, o empreendedorismo (adoro esta palavra) norte-americano , desata a criar produtos tentadores para este novo nicho de mercado. Agora, os adolescentes podem animar as aulas aborrecidas com exemplares destas deliciosas canetas, em variadíssimas cores, muito modernas. Contudo, a ousadia não se fica pela escrita e um adolescente verdadeiramente ousado não deixaria de usar ao peito esta pérola da joalharia desenhada para homem (os homens também usam jóias, ou não costumam ver os vídeos do pessoal radical rodeados por carros, jóias e gajas boas?). E como um bom empreendedor (também) pensa nos mais discretos, quem não ousar levar a peito a máxima, sempre pode levá-la carinhosamente no bolso, no formato de guarda-chaves (para além de tentar "guardar" o óbvio).
No entanto (e porque o melhor vinho guarda-se para o fim), a pérola desta campanha genial reside neste singelo objecto, a ostentar orgulhosamente ao peito por qualquer adolescente e mulher emancipada...
São Rosas, Meu Senhor, são Rosas! Já dizia a outra ao esposo, enquanto revelava o que transportava no regaço...
*Esta questão só vem confirmar que por cá continuamos num País de 3º mundo. Andamos preocupados em referendar a liberalização do aborto, quando estes já estão muito à frente, cortando o mal pela raíz. Afinal, no princípio (do mal) era o sexo!

9 comentários:

Candy disse...

Há pouco tempo vi um documentário sobre os novos virgens...é inacreditável como os EUA que se diz um pais moderno e de liberdade consegue regredir desta maneira!

Dirim disse...

Há pessoas que se deviam abster de abrir a boca.. (revela-se a fundamentalista que há em mim). Mas, provavelmente é natural que um país, do tamanho de um continente com e tão heterogéneo consiga ter estas coisas extraordinárias. São o berço do criacionismo nas escolas, do KKK e outras instituições aparentadas. Lembremo-nos que os EUA não são só NY ou LA...e estou convicta que por todo o lado há pérolas destas. Recordo, há cerca de 3 anos, num Congresso do CDS-PP um congressita a defender acerrimamente a educação separada, insurgindo-se contra os males e pecados da co-educação. Não, não é só dos EUA que vêm estas coisas. Têm é mais visibilidade.

his_tory disse...

É o que se chama ser mais papista que o Papa. Essa é a política oficial do Vaticano em matéria de sexualidade.
Há alguma verdade nessa situação, mas limita-se à ponta do iceberg. Essa é a forma mais radical de prevenir as doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada...
Mas a visão do bouquet de rosas desvirtua completamente toda a questão. Afinal, não são só as rosas que perdem as pétalas...
O merchandizing é algo intrínseco à cultura/economia americana. Pode ser que o Vaticano se torna no seu principal parceiro comercial...
Eu quero um kit desses e, já agora, um de empreendedorismo!! ;)

nefertiti disse...

Agora não te ponhas com ideias... Vê lá o que vais fazer no teu projecto!!!

Lady of the Lake disse...

No meio de tanta estupidez, o que mais me chocou foi voltarem (ou será que esta ideia nunca foi totalmente abandonada?) a enfatizar a ideia de que uma mulher "perde" o seu valor caso seja sexualmente activa antes do casamento e compará-la com um ramo seco é realmente deplorável e retrógrado! Esses futuros maridos que metam o ramo num sítio que eu cá sei..... pode já não ter as pétalas, mas continuam os espinhos, que são bem mais funcionais para lidar com gente como esta (pelos vistos este post também me fez revelar o meu lado mais fundamentalista)!

feniana disse...

um beijo solidário :)

jose disse...

genial. genial. genial.

estou sem palavras mas mesmo assim quis dizer algo.

genial.

everything in its right place disse...

eu estou mais ou menos como o José...

apetece-me dizer que os fundamentalistas não são fundamentais!

provavelmente talisca disse...

Agora que se acabaram os dois grandes blocos,
Agora que se acabou a ideia da guerra sem tréguas à droga,
Agora que se está a acabar a ideia de que o inimigo são os países árabes que afinal não são mais fundamentalistas do que nós,
Agora que não podemos fazer grande coisa contra a Coreia porque a China não deixa,
Olhamos em volta e vemos um velho inimigo que parece estar pronto para uma nova guerra,
As mulheres!
Oh as mulheres,
Que têm os ombros largos!
Que já levaram,
Podem levar,
E ainda vão levar tanta porrada.

Que não podem ser estouvadas, coitadas.
Que são mães e por isso têm que ser puras.
Que podem ser queimadas na fogueira.
E ficava tão bem numa praça.
A última delas nos estados democráticos unidos dos direitos da américa.

Estão cegos, ou quê?
A América não é uma democracia!
É um sistema rotativo em que duas grandes famílias mantêm o poder e o dinheiro.
E fazem investigações senatoriais para que as gentes fiquem descansadas com a ideia de que estão a viver em democracia!

E dão-nos com rosas puras!