quinta-feira, 7 de setembro de 2006

Do que nos esquecemos?

O Duplo de Tirésias Tu já foste da morte o mensageiro E tocaste a trombeta do destino: Em Tebas foste o rosto da tragédia Foste em Veneza a trágica poção. Chamaste a fome, a peste e a demência, E deste o nome à guerra e à tortura. Tens os olhos suspensos sobre o mundo, Tens a vida suspensa nos teus olhos: Tu acendeste os fornos em Auschwitz E marcaste no mapa Hiroshima Passaste por Kosovo e por Timor Por Saigão, por Paris e por Berlim... Era fácil dizer que és um deus! Mas só homens se esquecem de ser homens, Só os homens recusam ser humano. In Rostos Suspensos, João Maria André

5 comentários:

Woman Once a Bird disse...

:)
Sabes, ando novamente com ideias para este ano...

Nefertiti disse...

Conta comigo!!

gaia disse...

Concretiza e convida.
Leva-se a insónia (era para mim Nefertiti?) para o "outro lado". Partir de Pensamento e Afectividade do mesmo autor, parece-me uma boa sugestão.

Woman Once a Bird disse...

A ver vamos se consigo... por todas as variantes, como bem sabem.

nefertiti disse...

Não Gaia, eu refiro-me mesmo é ao poema!! abraço