sábado, 22 de julho de 2006

Silly Season

"Deus quer (???), o homem sonha, a obra nasce."
Fernando Pessoa
As interrogações são minhas.
A obra é da nossa responsabilidade. Porque os (que começam por ser) pequenos ódios tendem a crescer desta forma.

11 comentários:

Alexandre Dias Pinto disse...

Bom tópico de reflexão nestes dias difíceis para o Médio Oriente. Apetece-me dizer: "Eu sou um libanês". (E acrescentar: eu não apoio as agendas de terroristas) Já viram o post camufladamente pró-judaico e anti-libanês no Da Literatura? (http://daliteratura.blogspot.com/)

Alexandre Dias Pinto disse...

O Tonel de Diógenes tem um novo desafio de interpretação de uma obra de arte visual. Depois das mais de dez propostas de leitura estimulantes para a peça Menino Imperativo de Vespeira, desafiam-se os leitores a proporem significados para a escultura de Louise Bourgeois, ‘Maman’ (1999).

Acrescento que não é nessa intenção parasitar esta caixa de comentários, mas apenas dar a conhecer ao/às dinamizadores/as deste blogue uma nova edição iniciativa ‘Desafios à interpretação’, do Tonel de Diógenes (http://toneldiogenes.blogspot.com)

a disse...

WOB,infelizmente os sonhos são cada vez mais pesadelos.
Estes é que viram realmente o mundo do avesso!!!

(tenho umas imagens belíssimas para postar e lembro-me sempre do teu nickname...um dia destes.)

bjs.ana

Woman Once a Bird disse...

Alexandre:
Esta caixa não se sente ofendida e até agradece. Quanto ao pos do Literatura, passarei por lá. Há algum tempo que desisti de o ler, mas desta vez fiquei curiosa, muito embora não tenha ficado surpreendida. Obrigada.

Ana:
Lembras-te do nick porquê? Por causa do Witkin? Foi a ele que roubei o nick, a uma das fotografias que mais me agradam. Fico à espera. Bjo.

Anónimo disse...

neste caso... a obra destrói-se!

Anónimo disse...

H.

a disse...

Wob, nada com tal carga dramática!!!de dramática chega a realidade...
algo muito cool e relacionado comigo...light, very light...
bjs

his_tory disse...

Começas bem, Deus. Pois bem, Deus é a causa de todos os males e não o nosso "salvador". Esta inflexão justifica-se perfeitamente na medida em que o Homem comete(u) as maiores injustiças "em nome de Deus". Os Judeus procuram a Terra Prometida (atenção, não querendo ser antisemita, mas eles consideram-se o Povo eleito... entenda-se como se quiser...) e os Árabes sentem-se injustiçados com a ocupação de (da maior) parte da Palestina, legitimada pela comunidade internacional após a II Guerra Mundial. Se não fosse o auxílio dos EUA e a pressão do lobby sionista que terminou a diáspora naquela Nação, não sei se a situação se materia durante todas estas décadas, ainda mais com a impunidade/protecção do "Uncle Sam".
BJS

Ainda bem que recuperaste do choque do fax...

Woman Once a Bird disse...

H:
Esta é a obra. E consiste em destruir, dizimar, odiar. Uma oba que anula qualquer outra.

His-tory:
As interrogações significam isso mesmo; colocamos no punho de Deus as nossas vontades e ódios e dizemos que respondemos ao seu desejo. No entanto, a existir Deus, certamente que este não será o seu rosto.

Woman Once a Bird disse...

Errata:
Obra, no comentário anterior a este.
Post, no comentário que responde ao Alexandre do Tónel.

Anónimo disse...

I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
»