sábado, 15 de julho de 2006

Quando a História ganha asas na pena...

Caríssimo Mestre His_tory:
Uma salva de palmas de quem esteve ausente (trabalho aliado a paragem cerebral). E agora que as chávenas (de café) tilintaram em jeito de brinde, toca a andar em frente, rumo à próxima paragem.
Vá, mexa-se! Tem muito trabalhinho pela frente.
(Fotografia de Abelardo Morrel)

3 comentários:

Anónimo disse...

A História é uma senhora que deseja muita atenção e dedicação!! Um bom trabalho!

his_tory disse...

Bolas, fico sem palavras com o tratamento protocolar...
Eu não ligo nada a isso, a não uma camisa (sim, uma camisa; a t-shirt ficou a rir-se da minha figura!). Já as minhas botas, estiveram comigo até ao fim. Será fetiche? Só se for para os outros, porque para mim as Docs fazem parte da minha existência há mais de década e meia...
Ainda não contactei a orientadora, mas hoje estive a ver os procedimentos para iniciar o doutoramento. Até nem achei nada por aí além...
Obrigado pela deferência no teu blog (mesmo assim não tens desculpa! Eh! Eh! Eh!).
Mas voltando ao assunto que também tilintou à hora do café, e tu, quando dás asas ao bichinho que carregas e alimentas das mais variadas formas? Eu prometo estar presente; não te vou abandonar numa hora tão especial.
Para terminar, eu não estava nada nervoso, talvez (seguramente) por estar consciente do trabalho desenvolvido.
Até amanhã!
Podes responder com o travo do café da Escola.
PS: Eu vou mais cedo, pela filhota e porque há alunos que vão recorrer da avaliação (1 pediu-me ajuda para fundamentar o processo).
XAU

Woman Once a Bird disse...

Mestre:
O meu bichinho por enquanto passa ao largo. Ainda não é desta. Aqui a ceguinha já não aguenta com tanto peso na consciência. Seja benevolente, vá lá.