sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

A Verbocracia I

"Vivemos numa Verbocracia" dizia um professor que tive há uns largos anos. Realmente as palavras são os motores das nossas vidas; elas dão forma a decisões, pensamentos, sentimentos, ideias... As palavras são as expressões e impressões da Vida.
Há quem utilize poucas palavras ou então há quem opte por não dizer nada, cumprindo-se, por vezes, aquilo que o humanista Erasmo de Roterdão disse in Elogio da Loucura, "Um louco calado pode passar por um sábio", ou então os que "falam, falam, falam e não dizem nada e é claro que fico chateado".
A torre de Babel é indubitavelmente (vem na Bíblia!) um testemunho da grande importância da palavra, pois diz-se que andavam os homens a entender com as "mesmas palavras" quando o Ser Divino, Castigador e com um certo humor decide criar a grande confusão! Mas este facto os professores de Línguas até agradecem!
" Estis sal terrae" dizia o eloquente e imcompreendido Padre A. Vieira em relação àqueles que pregavam a fé (através da palavra, pois é claro) e que, desiludido com os homens, elegeu os peixes como ouvintes. Mas foi com os seus engenhosos e ardilosos Sermões que conseguiu alcançar uma causa justa, a Liberdade aos Índios do Brasil.
Por vezes as palavras andam à frente do tempo, provocando, a quem as utiliza, trantornos e até, algumas vezes, a morte ( Jesus, Sócrates, Galileu, Tomás Morus, Martin Luther King, Humberto Delgado e mais uma infinidade de nomes que lutaram com sábias palavras).
(continua...)

1 comentário:

prosathanos disse...

todas as PALAVRAS pronunciadas são falsas, todas a PALAVRAS escritas são falsas, e porquê???
porque todas a PALAVRAS pronunciadas suscitam o seu sentido contrário daí que FALAR é tarefa de muitos. AGIR ou SENTIR é tarefa de um só....PALAVRAS pra quê?