quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Notas breves sobre um violador

Não será porque passaram 30 anos que o acto de Polanski se torna mais desculpável. Não serão esses 30 anos que tornarão o facto de ter fugido às autoridades (aquando da consciencialização de que efectivamente iria ser punido) mais ligeiro, mais leve, menos memorável. Mas acresce a tudo isto que não deverá ser por estar ligado às artes, com renome no campo do cinema, que a violação de uma criança de 13 anos (o eufemismo de prática de actos sexuais com uma menor é, no mínimo, curioso)  possa passar em branco.Uma violação é uma violação, seja perpetrada por um pobre diabo ao virar da esquina, quer ocorra numa mansão em que se joga com os sonhos adolescentes de uma aspirante a actriz.
Um homem é sempre um homem, responsável pelos seus actos, quer seja um génio ou alguém de muito pouco talento. Foi um acto criminoso. Sem punição. Até agora. Chega tarde, mas que não se apague.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Activa / Passiva

Na forma activa: Esposa traída dá uma valente tareia na amante do esposo. ou Na forma passiva: Uma valente tareia é dada pela esposa traída na amante do esposo. Uma das diferenças é a "esposa traída" que, na forma activa, é o sujeito e, na forma passiva, passa a agente da passiva. A frase coincide com um facto que me foi relatado há poucos minutos!

Efeméride

clicar na imagem para aumentar

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

domingo, 27 de setembro de 2009

Luto



Para além de continuarmos a carregar com o tipo homónimo de Sócrates, para além de por cá continuarmos com a mesma cantilhena, ainda tivemos a grandessíssima lata de eleger um deputado pelo PP. Só mesmo de negro integral.

Lullaby de Domingo



(Rodin)



Lullaby de reflexão a cargo de The Cramps.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Lembrete

"Não perguntes o que é que o Sócrates pode fazer por ti, mas o que é que tu podes fazer para nos livrarmos do Sócrates."

John Funes Kennedy dixit e eu subscrevo. Sócrates, o novo, jamé!
E já agora, recomenda-se uma vez mais um excelente post do JRC no Ponteiros Parados.
 

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

"(...)no declaro la guerra a nadie, cambio la vida: soy feminista" *- Manifesto Feminista

Ao longo dos últimos meses, a UMAR reuniu pelo País fora, tomando o pulso às preocupações das mulheres e homens deste Pais. O resultado desses encontros, com mulheres e homens anónimos, associadas da UMAR, simpatizantes, organizações várias que acederam participar na iniciativa, está traduzido no Manifesto Feminista, lançado com o objectivo de confrontar os Partidos Políticos que se propõem a decidir sobre o País. Aqui está o resultado desse trabalho, que elegeu dez áreas fundamentais para esta reflexão:
1 - Violência de Género e nas relações de intimidade.
2 - Mulheres, trabalho e poder.
3 - Educação e formação.
4 - Mulheres imigrantes.
5 - Mutilação genital feminina e outras práticas tradicionais.
6 - Direitos sociais para quem presta serviços sexuais.
7 - Tráfico de mulheres - tráfico de seres humanos.
8 - Saúde e direitos sexuais e reprodutivos.
9 - Direitos LGBT.
10 - Participação política.

São 87, as medidas resultantes destas áreas fundamentais e podem ser lidas aqui (com a devida vénia ao blog Rua do Patrocínio) .

* citação de Florence Thomas e que inaugura o  Manifesto.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

21 de Setembro: começaram as aulas CÁ na Madeira

No primeiro dia de aulas, tive a sensação que a escola jorrava alegria e vivacidade por todos os lados.


Um mimo especialíssimo para o Funes*




...em função dos comentários na caixa do post anterior. Saúde, El Memorioso.

*e de caminho para Sócrates e para MFL, no que diz respeito a:
Everybody knows that the boat is leaking
Everybody knows that the captain lied

Esclarecimento prévio a qualquer tentativa de apedrejamento:
Qualquer relação entre Funes e os restantes é inexistente, tendo os três sido referenciados no mesmo post por mera comodidade. Simplesmente na escolha da obra-prima a ofertar, pareceu certeiro o asterisco graças ao teor de parte da lírica.

A autora está perfeitamente ciente de que apesar deste esclarecimento, o apedrejamento seguirá dentro de momentos, pelo simples facto de ter associado Funes a Leonard Cohen.
Espectante, em plena praça pública, ainda assim retorque que Funes tem muita sorte por ter sido associado a LC, terminando a sua defesa com um singelo "povo ingrato". 

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

domingo, 20 de setembro de 2009

Lullaby de Domingo

 


Paolo Conte a fechar uma semana bilingue, com distâncias linguísticas resolvidas graças à maravilha da  repetição.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

F*** you's a ter em conta 2

Num tom bem mais agressivo que a anterior, perfeita para campanhas eleitorais (passe o excesso linguístico, que não propriamente a que dá título ao post).

terça-feira, 15 de setembro de 2009

F*** you's a ter em conta 1

Palavra(s) na ordem do dia. A coisa resolve-se com uma melodia ternurenta e uma voz maviosa. 

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Neutro, mas pouco

Em pré-início de ano lectivo, os escaparates das livrarias e editoras anunciam orgulhosamente os instrumentos que melhorarão a vida à classe docente: são cadernetas dO professoR, dO directoR de turma, dO educadoR de infância... sempre assim, masculino neutro, em profissões que são exercidas maioritariamente por mulheres.

Boa Semana

domingo, 13 de setembro de 2009

Reflexos condicionados

Acordo às 2 da manhã, sento-me na cama e avisto a minha camisola castanha que está em cima da cómoda. Levanto-me, agarro na camisola e dirijo-me à cozinha. Abro a porta do frigorífico, tiro de lá um iogurte e coloco lá a camisola previamente bem dobrada. Enquanto bebo o iogurte, olho para os ímanes que estão na porta do frigorífico, com uma péssima sensação. Num sobressalto, retiro a camisola do frigorífico e ponho-a dentro da máquina de lavar que está mesmo ao lado. Vou para cama um bocado enervada e a pensar “Esta não percebi!”. Nota: durante o dia tinham-me avisado várias vezes para não me esquecer de pôr a roupa de cor na máquina de lavar.

"Yesterday is history, tomorrow is a mystery, but today is a gift. That is why it is called the present."

Lullaby de Domingo



Subsídios para uma reconciliação duradoura com o castelhano.

sábado, 12 de setembro de 2009

ignorância vs estupidez

(foto: Misha Gordon)

“ (…) Cristo não tinha paciência para os aborrecidos e mortos sistemas mecânicos que tratam as pessoas como se fossem coisas, e por isso tratam toda a gente da mesma maneira, como se alguém, ou mesmo alguma coisa do mundo, fosse igual a alguma outra. Para ele não havia leis; apenas havia excepções.
(…)
Como todas as naturezas poéticas, ele amava os ignorantes. Sabia que na alma daquele que é ignorante há sempre lugar para uma ideia grande. Mas não suportava pessoas estúpidas, especialmente aqueles que se tornam estúpidos pela educação – pessoas que estão cheias de opiniões que não são capazes de compreender, um tipo particularmente moderno, e resumido por Cristo quando o descreve como o tipo daqueles que têm a chave do conhecimento, não sabem utilizá-la, e não permitem que outras pessoas a utilizem, embora ela possa servir para abrir a porta do reino de Deus.”

In De Profundis, Oscar Wilde

Nota: eu
acho que a continuidade da espécie humana não passa só pela reprodução, mas também pela compreensão da individualidade de cada um.

Um pequeno País, não muito longe daqui*



Encontrado no Síndrome de Estocolmo, estranhamente familiar.

*Adulteração de uma deixa de Dogville.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

"What are women if they're not feeling insecure(...)?"

Vivamente recomendada a leitura deste post da Ecila, sobre os critérios de beleza que pesam sobre as mulheres. Facto é que por muito que tentemos escapar-lhes, a verdade é que não lhes somos imunes - e quem nunca fez depilação, contemplou o estômago, quem nunca pesou e repesou o corpo, quem come sem culpa, quem nunca comentou a indumentária de outrém, quem... quem... que atire a primeira pedra.
Se a História da Mulher nos dá a conhecer um corpo martirizado apenas por sê-lo - fonte de pecado e portanto sempre recusado, ofensivo, velado por isso - chegamos ao tempo que a tomada de posse desse corpo ainda não se deu porque continua perversamente inantigível, mas de um modo radicalmente oposto: se antes o corpo era recusado/humilhado/flagelado/castigado por ser fonte de possível prazer, agora esconde-se/humilha-se/flagela-se porque não corresponde a um padrão escandalosamente impossível.
E não se trata de conjurar um assalto ao Mundo tal como o conhecemos, mas de começar a redefinir os padrões com que nos deixamos desenhar e, principalmente, com que nos desenhamos. Conjuremos para recuperarmos os nossos corpos tão violentamente de nós afastados por uma imagem que de mulher pouco ou nada tem.

O título é parte da citação que a Ecila faz no final do seu post e que pertence ao livro Body Outlaws.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nunca mais é domingo

Graças a este madrileno que caiu há muito no meu ouvido, cheguei a este portuguesíssimo The Partisan Seed.

De acordo...

... com a afirmação do ainda Primeiro, de que as coisas estão a melhorar. E acredito piamente (pelo menos quero) que a 27 de Setembro e a 11 de Outubro tenderão a melhorar muito mais.

Omega Centauri

Constelação Centauro, by Hubble

Jet in Carina

Constelação Carina, by Hubble

domingo, 6 de setembro de 2009

De meio em meio, enche a campanha o papo

E de caminho, aproveitamos para atacar desde já a RTPM, para que não venham cá com histórias sobre a suspensão de programas incómodos. A tão propalada política da verdade (???) estende-se às regiões autónomas, claro está; está na rua de meio em meio quilómetro, para não se desgastar rapidamente.

Veículo blindado de combate (panzerzinho)

Tenho para mim que o partido mais bem preparado para estas eleições duplas é o PS (este partido socrático, note-se); ao tempo que reclama estar embrulhado em campanhas (negras, verdes, cor-de-rosa, de ódio, de inveja, de despeito, (preencher a partir daqui com todo o tipo de campanha que se lembrar), adquiriu traquejo para a campanha eleitoral que falta claramente aos restantes.

"O Bloco tem um problema"

Eu percebo perfeitamente a Joana. Esteve de férias e de telemóvel desligado durante todo este tempo e só agora, a menos de um mês das eleições, conseguiu vir explicar o imbróglio de há dois meses atrás. E pronto, precisou de se acalmar para não estar tão irritada com o Louçã. Eu percebo, a sério que percebo.

Lullaby de Domingo



É preciso ter esta gente debaixo de ouvido.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Kiara mãos de tesoura


Mas sem a candura do Eduardo.
A expressão sagaz imediatamente antes do ataque não engana. Uma gata também se irrita e não é de ferro.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Cut by Sylvia Plath




Subitamente, uma conversa levou-me de novo até ela, adormecida que estava, guardadora de estante, escondida no meu medo de começar. Não há escapatória possível; finalmente abri-lhe a campânula e comecei a sorver-lhe o odor.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

É um bom mote, Sr. Primeiro Ministro

Efectivamente, nós sabemos o que fez, não só no Verão passado como também nos últimos quatro anos. E já não estamos em tempo para restaurações, ainda por cima prometidas se e só se lhe for entregue novamente o ouro.

Por outro lado, (quase) congratulo a Ministra por ter aprendido muito com a reforma da carreira docente e com a negociação com os sindicatos(a utilização desta palavra denuncia que afinal não aprendeu tanto como isso, como demonstra a sua utilização no contexto a que se refere).

terça-feira, 1 de setembro de 2009

"Epistola: in Carcere et Vincullis Reading, Prisão de sua Majestade"



"A Religião não me ajuda. A fé que os outros concedem àquilo que não se vê, concedo eu àquilo que posso tocar, e que posso ver. Os meus Deuses habitam em templos feitos com mãos, e é dentro do círculo da minha experiência actual que o meu credo se torna perfeito e completo; demasiado completo, talvez, pois, como muitos ou todos aqueles que colocaram o Céu nesta terra, encontrei nela, não apenas a Beleza do Céu, mas também o horror do Inferno. Quando penso acerca da religião, sinto que gostaria de fundar um ordem para aqueles que não são capazes de crer; poder-se-ia chamar a Confraternidade dos Sem Pai, onde, num altar, no qual não ardesse qualquer lamparina, um sacerdote, em cujo coração não habitasse a paz, pudesse celebrar com um pão amaldiçoado e um cálice vazio de vinho. Para se tornar verdade, em tudo tem que tornar-se uma religião. E o agnosticismo devia ter os seus rituais, tal como a fé. Semeou os seus mártires, devia colher os seus santos, e louvar a Deus diariamente, por se ter escondido dos homens. Mas, quer seja fé ou agnosticismo, não deve ser nada exterior a mim. Os seus símbolos devem ser criados por mim. Só é espiritual aquilo que produz a sua própria forma, se não for capaz de encontrar o seu segredo dentro de mim, não serei nunca capaz de encontrá-lo. Se não o possuir já, nunca o terei."

in De Profundis, Oscar Wilde, Editorial Estampa, 2000





A new life for me



Bisa-se a experiência por cá, bem sei, e ainda por cima não é domingo. Finalmente sei onde vou trabalhar no próximo ano e ainda por cima fico em sítio por mim querido. Portanto, tinha mesmo que ser Nina Simone. E sim, I'm Feeling Good.